Diante do contexto criado pela ilegal decretação da ordem de prisão do ex Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Reinaldo Azevedo afirmou que agora “o Supremo terá que votar as ADCs ou até quando a Cármen Lúcia pretende (adiar esta votação). Vejam bem, a partir de hoje Carmem Lúcia passa a ter um presidiário privado. Lula é hoje um preso de Carmem Lúcia. Atenção! Repito: Lula é hoje um preso de Carmem Lúcia”.

João Baptista Pimentel Neto*

João Baptista Pimentel NetoEm comentário na Rádio Band News, o reconhecido jornalista anti petista Reinaldo Azevedo detona a República de Curitiba e seus asseclas de Porto Alegre (os “desembargadores” do TRF 4). E afirma que com as últimas ilegalidades cometidas pelo grupo, fica definitivamente claro que o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva é hoje alvo de uma “perseguição política”.

Segundo Azevedo, a pressa em decretar a prisão de Lula visou impedir não qualquer reação ilegal, mas sim qualquer reação legal, já que a defesa tinha o direito de impetrar os tais embargos dos embargos. E lembra que em janeiro o próprio presidente do TRF 4 em entrevista concedida a Band News afirmou que a fase processual naquela instância – diante dos instrumentos legais existentes – só se encerraria em maio. Assim com esta açodada e ilegal medida determinada fica evidente que “o objetivo, fica evidente agora mais do que nunca, era prender Lula o mais rápido possível”.

“Lula é hoje um preso da Cármen Lúcia”. Afirma Azevedo.

“Infelizmente, para o país, para a política, infelizmente para o direito, há obviamente um caso claro de perseguição política. Não tem mais como dourar a pílula’. Afirmou Azevedo, fundamentando “Atenção, o TRF4 julgou Lula num prazo inédito, que não usou para ninguém. O TRF4, julgou os embargos num prazo inédito que também não usou para ninguém. E agora manda executar a sentença num prazo igualmente inédito, não esperando nem mesmo o recurso a que a defesa tem direito. Da forma que esta sendo feito, há claramente a determinação de prender Lula. Estas pessoas, desculpem a dureza, são irresponsáveis”. E continua “esses cuidados do Sergio Moro, não se usa algema, darei a Lula o benefício de se entregar, é puro fru-fru, para disfarçar a truculência da decisão”.

Azevedo afirma também que fica claro que a decisão foi “obviamente coordenada entre os três desembargadores do TRF4 e o juiz Sergio Moro, porque havia obviamente a possibilidade do Supremo votar as ADCs”.

Diante deste contexto, Azevedo afirma que agora “o Supremo terá que votar as ADCs ou até quando a Carmem Lúcia pretende (adiar esta votação). Vejam bem, a partir de hoje Carmem Lúcia passa a ter um presidiário privado. Lula é hoje um preso da Carmem Lúcia. Atenção! Repito: Lula é hoje um preso da Carmem Lúcia”.

Concluindo, Azevedo afirma que “não vai ter como o Supremo não votar as ADCs e se a Ministra Rosa Weber não fizer nenhum malabarismo de novo, Lula será solto”.

Confira o vídeo na íntegra: