Fernando Martínez Heredia foi um dos grandes do pensamento revolucionário de Nossa América

Fernando Martínez Heredia1Na madrugada de segunda-feira (12/6/17), morreu de infarto em Cuba o pensador e ativo agitador no debate de ideias, Fernando Martínez Heredia.

Fernando Martínez Heredia era pedagogo e advogado, diretor do Instituto Cubano de Pesquisa Cultural Juan Marinello e seus escritos ajudaram e ajudarão no futuro a compreender não só a seiva fundamental que alimenta a Revolução Cubana mas desde sua concepção latino-americanista e caribenha sempre esteve a postos na solidariedade com a luta dos povos.

Atualmente, na Argentina registramos com muita dor, era um dos grandes impulsionadores das Cátedras Fidel Castro que resgatam o legado do comandante em chefe da Revolução Cubana.

Registramos alguns dados da biografia de Martínez Heredia para conhecer melhor e sentir sua ausência, mesmo sabendo que seus ensinamentos continuarão agitando por todo o continente iluminando a luta pelo socialismo.

Fernando Martínez Heredia

Alma mater da Academia de Ciências de Cuba recebeu inúmeros reconhecimentos. Acadêmico titular da Academia de Ciências de Cuba; Doutor em Direito, professor titular da Universidade de La Habana, Pesquisador titular; especialista em Ciências Sociais, ensaísta e historiador.

Nasceu em 21 de janeiro de 1939, em Yaguajay, província de Sancti Spiritus, Cuba.

Início da vida profissional

Sua extensa e exitosa trajetória como educador revolucionário teve início nos primeiros anos da Revolução quando se formou como professor de Secundaria Básica no Plano Fidel, ministrando ciências sociais na Escola Lazo de la Vega. Posteriormente como professor de Filosofia na Universidade de La Habana e diretor do Departamento de Filosofia.

Em fins da década de 1960 participou como membro do grupo que elaborou o “plano de universalização do ensino e acesso à educação superior”, e também integrou o grupo encarregado das pesquisas sobre Educação superior.

Contribuições

Como professor em pós graduação ministrou cursos e conferências sobre temas sociais em diversas instituições do país e de outros 19 países, em que trabalhou como professor ou pesquisador convidado.

Infatigável pesquisador da realidade cubana e latino-americana participou das pesquisas sociais da Universidade de La Habana, do Centro de Estudos sobre Europa Ocidental, do Centro de Estudos sobre América e do Centro de Pesquisas interdisciplinares em Humanidades e da Universidade Nacional Autônoma do México.

Foi colaborador cientista do Programa de Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais em Cuba; membro da Cátedra Ernesto Che Guevara e do Seminário Problemas do Mundo Atual do Instituto de Pesquisa Económica da Universidade Nacional Autônoma do México. Trabalhador do Instituto Cubano de Pesquisa Cultural Juan Marinello e presidente da cátedra de estudos Antonio Gramsci.

Responsabilidade assumidas

Membro do Comitê Executivo da Associação Latino-americana de Sociologia, das Universidad Popular madres da Plaza de Mayo;

Diretor da Revista Pensamiento Crítico;

Membro dos conselhos das revistas latino-americanas America Libre, Caminos, Debates Americanos (Cuba) e Anuário da Fundação Che Guevara (Itália);

Membro do Comitê Nacional da União de Escritores e Artistas de Cuba;

Me membro do Comitê Nacional da União de Escritores e Artistas de Cuba;

Diretor do Instituto Cubano de Pesquisa Cultural Juan Marinello;

Reconhecimentos

Recebeu numerosas homenagens e condecorações das quais destacamos:

Reconhecimento pela Educação Cubana;

Reconhecimento pela Cultura Nacional;

Prêmio Ensaio da Casa das Américas;

Prêmio Nacional de Ciências Sociais;

Em 2015 recebeu finalmente o Prêmio Nacional de Pesquisa Cultural, sobre o qual, confessou à jornalista Lisdanys Alfonso Rivas:

“… continuo ministrando minhas conferências, umas depois de outras… Não posso deixar de trabalhar. De fato, este prêmio constitui um desafio, um convite para seguir adiante, seguir superando-me. A gente deve dedicar seu tempo ao que faz e sabe ser útil, e sacrificar-se se estiver verdadeiramente comprometido com o mundo em que vive e a sociedade que o formou”.

*Original de Resumen Latinoamericano