Qualquer forma de lucrar a custas do suor dos imigrante indocumentados é uma pechincha. É um negócio rentável como o de tráfico de pessoas para exploração sexual, trabalho escravo ou tráfico de órgãos. Por isso são os que mais sofrem, são os párias. Quem os defende?

Ilka Oliva Corado*

Los indocumentados en la administración Trump2É uma ingratidão o que fazem os meios de comunicação ao aterrorizar os indocumentados agora que Trump está presidente de Estados Unidos. Já de per se os migrantes vivem uma paranóia, com um medo instalado irreversível, vivem com a angústia de uma deportação ou que regressem ao inferno de onde saíram, fugindo, em busca de comida e refúgio. Salvar suas vidas. Há que ser pária para entender as migrações forçada.

Com absoluta falta de profissionalismo, ética e humanidade, jornalistas se prestam a urinar sobre nós, ou seja, estamos fodidos e eles tornam a nos foder. É detestável a forma com que acossam os indocumentados, solicitando entrevistas, fuçando em suas histórias de vida; fazendo deles trampolim para conseguir a melhor manchete e, mais adiante, ganhar os prêmios, porque é assim como funciona o mundo da manipulação midiática.

Não mudou absolutamente nada a situação dos indocumentados na administração Trump. Sucede que antes os meios encobriam as deportações massivas realizadas por Obama. Recordemos que foram cúmplices na implementação do Plano Fronteira Sul e Plano Maya Chortí, quando criaram uma falsa crise com crianças que viajam sozinhas (viajam sozinhas já faz mais de vinte anos) o que acabou de criminalizar os migrantes em trânsito desde o Triângulo Norte da América Central até a fronteira entre México e Estados Unidos. Então ninguém denunciou que se tratava da militarização de Estados Unidos sobre aqueles territórios. Como tampouco ninguém disse nada sobre o Plano Aliança para a Prosperidade e o Plano Mérida que constituem o fio catalisador da corrupção na região.

Desde o primeiro dia do mandato de Trump os meios de comunicação que apoiaram abertamente a candidatura de Hillary Clinton, não porque ela representasse um alívio para os migrantes (porque é tão Obama como Trump) mas pelo que ela representava contra Cuba e Venezuela. Saíram à caça de indocumentados para expô-los ao olhar público e fazer teatro sobre sua vulnerabilidade. Jamais pensaram neles como seres humanos. Utilizam-nos como fazem muitos escritores, poetas, artistas, cineastas, intelectuais, porque são uma plataforma maravilhosa para os que sabem fazer dinheiro às suas custas.

O terror que sentem os emigrados recentes que não conhecem o sistema, bombardeados que são todos os dias na rádio, nos jornais e nas televisões, é se transforma numa psicose pós fronteira. É um fato que a qualquer dia nos deportem, mas isso não depende de quem chegue à presidência porque se trata do sistema. Contudo, não podem deportar-nos a todos porque somos os que sustentam este país. Sem os indocumentados Estados Unidos seria um caos, não haveria quem trabalhe no serviço doméstico, na jardinagem, nas fábricas, nos campos de cultivo, quem construa seus edifícios. Essa exploração do trabalho lhes proporciona ganhos milionários que não estão dispostos a perder. E além disso pagamos impostos.

Os cárceres para onde enviam os indocumentados para deportação continuarão a existir sempre, porque é um negócio milionário. São empresas privadas as que administram. Nunca foram denunciadas durante a administração Obama e agora o fazem na administração Trump. Por que silenciaram antes? Teriam denunciado se fosse Hillary Clinton na presidência?

Trump representa o que um ser humano não deve ser. Porém, representam isso também Hillary Clinton e Obama porque quem quer que chegue à presidência deste país, seja do partido Democrata ou Republicano, obedece a linha do sistema capitalista: que é a destruição dos povos e a marginalização dos párias.

O pária sempre será pária, não importa quem seja presidente nem o país. Se o sistema é o mesmo a opressão e marginalização sempre avassalarão sobre os que menos têm. Então, há que mudar o sistema.

Por enquanto, aqui nos Estados Unidos, os migrantes indocumentados não dormem, angustiados pela terror criado pelos meios de comunicação em torno das deportações, meios que só se preocupam com a manchete mais vendedora. Ingratos…

Jamais se esqueçam que o presidente que mais deportou indocumentados na história de Estados Unidos foi Obama, democrata e negro, por gosto. Virão os de Trump e virão os do próximo presidente porque isto é assim: o pária é pária onde estiver.

*Colaboradora de Diálogos do Sul, vive indocumentada em território de Estados Unidos.