Comunicado sobre a posição internacional assumida pelo governo de Juan Carlos Varela no caso da República Bolivariana de Venezuela.

PRD logoO Partido Revolucionário Democrático (PRD) registra que o governo do presidente Juan Carlos Varela violou a dignidade do país ao rebaixar o Panamá à condição de apêndice submisso da política exterior dos Estados Unidos ao apoiar as sanções impostas pelos Estados Unidos a Venezuela e a funcionários desse país de maneira unilateral.

A administração do presidente Juan Carlos Varela cometeu um atentado contra a personalidade internacional da nação panamenha ao subordinar sua política exterior à dos Estados Unidos.

É deplorável que o presidente Varela tenha aceitado, sem nenhum rubor, a recolonização da política exterior do país.

Para o PRD é inadmissível que a administração do presidente Varela avalie sanções unilaterais contra Venezuela que violam o direito internacional. Resulta penoso que o governo do Panamá, país que sofreu em 1988 e 1989 sanções injustas e ilegais que afetaram severamente a economia nacional e a qualidade de vida dos cidadãos, agora apoie ações semelhantes contra a Venezuela.

É vergonhoso que o governo do presidente Juan Carlos Varela avalize hoje contra Venezuela as ações condenáveis que ontem foram aplicadas contra o Panamá.

Agora o governo do presidente Varela pretende se erigir em juiz supranacional, quando nem sequer é capaz de resolver os problemas que afetam a população panamenha e muito menos enfrentar com eficácia as graves denúncias de corrupção contra esta e contra a administração passada.

O crescente descontentamento cidadão e a falta de credibilidade internacional da administração do presidente Varela não serão mitigadas aliando-se às intenções de países estrangeiros nem formando parte de alianças intervencionistas nem pretendendo um triste protagonismo de conveniência com relação à Venezuela.

Com a posição assumida contra a Venezuela, o presidente Juan Carlos Varela fez retroceder a política exterior do Panamá às épocas mais escuras do entreguismo e desdenhou as melhores práticas diplomáticas do país caracterizadas pela adesão e aplicação dos princípios de não intervenção, respeito à soberania nacional e a autodeterminação,  do não uso da força e a solução dos conflitos através do diálogo e a negociação.

Demandamos que a administração do presidente Varela desenvolva uma política exterior de autonomia e independência fundada nestes princípios que deram credibilidade e respeito ao Panamá no âmbito internacional.

Todo esforço externo, tanto bilateral como multilateral e nos organismos internacionais, que honestamente e sem agendas ocultas deseje contribuir para uma solução à problemática que vive Venezuela, deve fundar-se no acatamento ao Direito Internacional, no respeito estrito à soberania da Venezuela, no apoio decidido ao diálogo e a negociação como vias insubstituíveis para conseguir uma solução política durável que restabeleça a paz social e a convivência nesse país irmão.

Secretaria de Relações Internacionais

Partido Revolucionário Democrático

31 de julho de 2017