Ninguém diz, mas é fato que a força tarefa da Operação Lava Jato paralisou a manutenção e o investimento nas refinarias e também as obras de novas refinarias, como a Abreu de Lima, em Pernambuco. Isso é válido também para as usinas hidrelétricas. Paralisados, esses projetos só produzem dívidas.

Paulo Cannabrava Filho*

Diante da greve dos caminhoneiros, que paralisou o país por dez dias, o país começou (ou deveria ter começado) um processo de reflexão sobre os porquês de termos chegado a este ponto. Como contribuição a isso, a revista virtual Diálogos do Sultenta, em uma série de artigos que publicaremos ao longo da semana, explicar os fenômenos que deixaram o país à beira do caos.

Leia os outros artigos da série:

Petróleo e crise política: Temer não caiu. Fortaleza dele ou fraqueza da oposição?
Quer saber de quem é a culpa pela crise dos combustíveis? Pergunte ao FHC
Por que ofender os jericos? Tendo ferrovias desenvolvidas, Brasil optou por rodovias

Em 15 de maio deste ano, a Câmara de Comércio Brasil Estados Unidos concedeu o Prêmio Person of the Year 2018 ao pretor de Curitiba, juiz Sérgio Moro, que viajou para lá para ser agraciado e ainda receber uns trocados dando conferências. Velha tática da inteligência estadunidense.

Publicidade
Uma empresa como a Odebrecht, de dimensão global, tem cacife para conseguir recursos e tocar pra frente. Uma empresa menor, como a Andrade Gutierrez, está pedindo socorro, não consegue sair do buraco, acabará pedindo concordata. Quantos engenheiros estão hoje sem emprego? O rombo nesse setor chega a R$ 7 bilhões. E isso sem a greve que assustou todo mundo.

Seminário realizado em São Paulo debateu “O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil” | Foto: Ricardo Stuckert

Já se estava quase conseguindo um equilíbrio na balança comercial do petróleo. A Petrobras já produz petróleo para o consumo interno e para exportar. O Brasil poderia tornar-se um dos grandes exportadores e competir com os países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). Contudo, não produz todos os derivados do petróleo, como o diesel, a gasolina etc., em quantidade suficiente para o consumo.

Mas vale registrar que nos últimos doze meses a balança comercial brasileira obteve um superávit possibilitado por safras recordes de grãos, com superávit de US$ 3,7 bilhões e a exportação de uma plataforma de petróleo para os Países Baixos por 1,5 bilhão de dólares.

Esse registro é importante, porque escancara os prejuízos causados pela Lava Jato, pois uma das fabricantes de plataforma, no Rio Grande do Sul, está praticamente falida em consequência da prolongada paralisação provocada pela força-tarefa e as demais estão demitindo trabalhadores porque o governo ilegítimo prefere comprar mais barato, ou pelo mesmo preço, da Indonésia ou outro país asiático. Dá pra entender?

Nossos custos de produção e poder de consumo é bem inferior ao deles. No México, onde o diesel era bem mais barato (quando o petróleo era dos mexicanos) agora custa US$ 0,97, bem próximo do cobrado aqui.

 

Ainda os caminhoneiros: Por ora resolveram. E depois?

 

O que sobrará para o novo governo a partir de 2019? Haverá governabilidade?

O custo para o governo do acordo firmado pelo ilegítimo Michel Temer para finalizar a greve dos caminhoneiros, considerando as reduções e os subsídios, será de cerca de R$ 5 bilhões.

O Preço é calculado levando em conta o custo de produção mais o custo de distribuição. Sobre esse custo é adicionado o imposto e, na bomba, a remuneração do posto. O ICMS é o que mais pesa no valor final: taxa média de 28% para a gasolina e 14% para o diesel. Tem um projeto no Congresso, de Romero Jucá (MDB – RR), para tabelar em 18% para a gasolina e 7% para o diesel. Com que critério? Ninguém explica.

Protesto contra a evasão de impostos | Foto: José Cruz/Agência Brasil

No caso de anular a Cide, um imposto que equivale a 1% no preço na bomba, significa um desconto de R$ 0,05, quase nada. Depois de anunciar essa patacoada, o ilegítimo Temer presidiu uma festa de lançamento da candidatura de Henrique Meireles, que terá toda a máquina do governo em sua campanha. Quem é esse Meireles? Alguém que ficou rico servindo aos banqueiros e agora quer ser o dono da banca.

O governo alega que não pode prescindir dessa receita para o orçamento da União. Será? Então por que isentou de taxas, por décadas, as estatais estrangeiras que conseguiram operar no pré-sal?

Parece até brincadeira. O Tesouro perde, para dar um só exemplo, R$ 15 bilhões por dádivas às empresas e pessoas físicas que devem ao Fundo de Assistência do Trabalhador Rural (Funrural).

A bancada ruralista queria 100% de isenção de multa e perdão da dívida. Negociaram, o governo cedeu para que os débitos, com desconto, sejam pagos em até 176 prestações e livre de multa. É a força da bancada ruralista. Como o povo está inerte e não sabe das coisas: imposto nele. Imposto na folha de pagamento, nos produtos da cesta básica, no combustível, na passagem do ônibus que se abastece do combustível…. etc., etc..

*Jornalista, editor de Diálogos do Sul