comportamento

Carolina Vásquez Araya
0

Predadores sexuais: “Papai, por que você me odeia?”

As crescentes revelações de casos de violação de bebês obrigam-nos a reagir. Os predadores sexuais são sujeitos normais, respeitados socialmente, amparados pelo sistema. Carolina Vásquez Araya* Algo muito ruim sucede com a espécie humana quando pais, irmãos, professores, líderes espirituais ou simples vizinhos são capazes de violar. Mas algo muito mais perverso se revela diante das agressões sexuais perpetradas contra seres tão indefesos como bebês, meninas e meninos em seus primeiros anos de vida. Corpos e…

Caderno C
0

Os primatas dentro de nós: razão, emoção e o uso que fazemos de nossa inteligência

Lendo de Waal, esse vai e vem entre comportamento humano e o de outros primatas, em particular dos bonobos que no geral preferem fazer amor do que guerra, é imensamente instrutivo. Temos sempre essa forte tendência a encobrir o que há de mais podre no nosso comportamento por meio de discursos moralizantes, inclusive, como vimos, apelando erradamente para Darwin. Mas o fato é que as raízes dos comportamentos estão profundamente ligadas às nossas emoções, e aqui o paralelo com o comportamento dos primatas é muito rico. Mas é tão mais fácil insuflar o ódio!

Mulheres
0

Judith Butler e sua teoria de gênero

Desde o começo, a oposição à minha presença no Brasil esteve envolta em uma fantasia. Um abaixo-assinado pedia ao Sesc Pompeia que cancelasse uma palestra que eu nunca iria ministrar. A palestra imaginária, ao que parece, seria sobre “gênero”, embora o seminário planejado fosse dedicado ao tema “Os fins da democracia”.

Direitos Humanos
0

A síndrome de Estocolmo afeta boa parte da humanidade

A expressão Síndrome de Estocolmo apareceu em 1973, na Suécia, quando uma das reféns durante um assalto a um banco preferiu ficar ao lado de seu captor em vez de ir com a polícia. Hoje a expressão é utilizada para casos de sequestros, maltrato de gênero, dentro das empresas e em outros casos. Gabriela Amaya*

Sem categoria
0

Gerações vencidas

América Latina, com suas muitas cores, sua fecundidade, seus Povos Originários e seus mártires, é uma terra de contradições e entre estas estão as gerações vencidas; acomodadas nas sombras do descaramento, do oportunismo e da indolência. Gerações que se negam a uma identidade própria e que pisoteiam todo rastro de memória e dignidade.

Estados Unidos
0

Crianças e adolescentes dos EUA sob risco das balas

Pesquisadores dos Centros para o Controle e Prevenção de Enfermidades analisaram dados sobre lesões e mortes por tiros em crianças de zero a 17 anos e um relatório registra anualmente cerca de 1.300 mortes por armas de fogo entre menores de 17 anos.

Caderno C
0

Cracolândia: Viciados não se combate com repressão

Fico preocupado com o ser humano quando ouço coisas do tipo “Bêbado e Drogado não prestam. São todos bandidos. Deviam ser presos”, etc, etc, entre outras bobagens. Roberto Casseb* Conheço alcoólatras, usuários de drogas, já fui a reuniões dos Alcoólicos Anônimos, visitei centros de recuperação de usuários de drogas, ouvi histórias tristes e a luta dessas pessoas para saírem desse buraco negro. O fato é que o vício é uma doença, e precisa ser tratada…

Caderno C
0

A família tradicional como imposição

Desde o princípio dos dias, o sistema patriarcal nos impôs até a forma como devemos andar ou sentar, tudo a respeito do papel de gênero e sem falar de comportamentos, que vêm por categorias dependendo dos estereótipos e preconceitos; que vêm por padrões de criação ou que nós, até mesmo antes de aprender a falar optamos por patenteá-los como próprios ou convenientes. Ilka Oliva Corado* Não há nada mais imposto nesta vida e que nos…

Caderno C
0

Textos longos aumentam fidelização dos leitores

Entre as notícias, informações e fofocas da violenta investida digital, o que as audiências online mais valorizam pode ser surpreendente: matérias longas, cobertura aprofundada e investigação jornalística que ofereça novas perspectivas. Scott R. Maier* Essa é a conclusão de um estudo recente que avaliou um conjunto pioneiro de análise de mídia usado pelo Instituto de Imprensa Americano [American Press Institute-API] para rastrear o envolvimento dos leitores. Extraídos de mais de 400 mil matérias e 55…

Sem categoria
0

O respeito: essa rara qualidade

Carolina Vásquez Araya* Todos nascemos em circunstâncias diferentes, com um código genético único, um ambiente determinado pelo momento específico quando começa nossa percepção do mundo e no modo como chegamos a ele. Assim sendo, nossa forma de apreender o entorno é diferente para cada um de nós e isso marcará nossa perspectiva das coisas. Não obstante, por absurdo que pareça, a história nos ensinou como essas diferenças básicas são forçadas a se fundir e se…

Brasil
0

Assim começa

Maria José Silveira* Uma das notícias que se espalhou pela mídia e pelas redes sociais no final do ano dá bem a ideia do que foi 2015, e esperemos que não seja 2016. Estou me referindo (ainda) à agressão que Chico Buarque sofreu ao sair de um bar no Leblon, tendo que responder a um grupo de jovens que o chamaram de “petista bandido”, perguntando “por que ele não se mudava para Paris?”. Não vou…

América Latina
0

Na América Latina, 7 em cada 10 crianças são vítimas de bullying, diz especialista

Bullying para alguns países, “matoneo” para outros, o certo é que o assédio escolar transformou-se nas últimas décadas em um fenômeno que atinge duramente crianças e adolescentes, reflexo das desigualdades sociais imperantes no continente americano. Maylín Vidal* Segundo cifras oficiais, sete de cada 10 crianças na América Latina são vítimas deste assédio que começa às vezes com um simples assobio e termina em não poucas ocasiões em um desenlace fatal. De maneira física ou mental,…

Sem categoria
0

Fúrias, furiosas fúrias

Marli Gonçalves* Muito impressionada com o tanto de pessoas furiosas e com a capacidade humana para odiar, maldizer e amaldiçoar, pensar mal sobre quem não pensa igual. Muito triste também por estar vendo um país nervoso, dividido sem necessidade e perdendo a essência e alegria que é o nosso próprio rebolado. Depois de escrever o artigo da semana passada, sobre a minha visão, sobre como eu vi ou não vi passar esses 50 anos desde…