Ofilme premiado filme “Trago Comigo” da cineasta Tata Amaral será exibido na noite próxima quarta-feira (06/07) no auditório Vladimir Herzog, no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. O evento conta com a parceria da CUT/SP e a entrada é gratuita.

Na próxima quarta-feira (06/07), o auditório Vladimir Herzog do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) promove uma sessão gratuita do filme “Trago Comigo”, da cineasta Tata Amaral, seguida de debate sobre as sequelas da ditadura militar e sobre as ameaças à democracia que vivemos atualmente. A promoção é conjunta com a CUT/SP e acontece a partir das 19 horas no auditório Vladimir Herzog, na sede do SJSP.

Após a exibição do filme, acontecerá um debate com a participação da cineasta Tata Amaral e também de Paulo Zocchi (presidente do SJSP), Douglas Izzo (presidente da CUT/SP), Alexandre Padilha (secretário Municipal da Saúde de São Paulo) e Rose Nogueira (diretora do SJSP,  ex-presidente do grupo Tortura Nunca Mais e uma das depoentes do filme).

Sequelas da ditadura

tata amaralCom estreia nacional no último dia 16 de junho, o novo filme dirigido por Tata Amaral é o segundo longa-metragem consecutivo da cineasta que trata das sequelas da ditadura civil-militar brasileira na vida de seus personagens.

“Trago Comigo” ganhou, em 2015, o prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular no 10º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e também o de Melhor Filme no Festival Internacional de Cine y Derechos Humanos de Sucre, na Bolívia. Apesar da seriedade do tema, o filme não se furta a momentos divertidos ou emocionantes, sobretudo aqueles que revelam as diferenças entre gerações.

Mas as recentes manifestações pedindo a volta do regime militar – incluindo a declaração do deputado Jair Bolsonaro exaltando Carlos Alberto Brilhante Ustra, reconhecido torturador pelo Superior Tribunal de Justiça – deram ao filme atualidade inesperada. O longa, que mistura depoimentos reais com a ficção, conta com a participação da família Teles, vítima de Ustra e autora da ação judicial que o reconheceu como torturador.

Sinopse

ricelliO diretor de teatro Telmo (Carlos Alberto Riccelli) foi preso pela ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985), e posteriormente exilado. Quando é convidado para dar uma entrevista, se dá conta de que não tem memória alguma dos meses que passou clandestino e de como aconteceu sua prisão. Através da peça de teatro que passa a montar junto com seu jovem elenco, ele vai estabelecer um diálogo com as novas gerações, mergulhar na sua própria história e na história de seu país. Vai revelar para si e para todos aquilo que, de tão doloroso, preferiu esquecer.

Serviço 
O que: Exibição e Debate de “Trago Comigo”, de Tata Amaral
Quando: dia 6 de julho, quarta-feira, às 19h
Onde: Auditório Vladimir Herzog do Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo
          Rua Rego Freitas, 530, Sobreloja, Vila Buarque (Estação República do Metrô)

Entrada Gratuita