Vivemos em um país onde governa um terrível tirano há 11 anos. Durante esse tempo, o regime mandou construir 3.000 centros de saúde de primeiro nível e 200 de segundo nível. Isso significa um centro de saúde a cada quatro dias e em 2017 serão construídos 36 novos hospitais. Você deve ir embora, Evo.

Javier Espada*

evo-moralesJá que o ignorante nem completou o ensino secundário, obrigou-se a construir 4.500 unidades educativas. O analfabetismo reduziu-se a 5% e o acesso ao sistema educativo alcançou 85% do total da população. Para aprofundar seu período de terror não apenas entregou 120.000 computadores gratuitos para os alunos, mas também para os professores e destinou 14% do orçamento para a educação, Você deve ir embora, Evo.

Como não usa transporte público e só é levado em caras limousines, mandou construir 3 linhas de teleférico com preço subsidiado e serão construídas 4 linhas mais. E isso para não falar das estradas, porque sob seu período de opressão foram asfaltados nada mais nada menos que 13.000 quilômetros de estradas em todo o país e está sendo unido o oriente com o ocidente, o oceano atlântico e o pacífico com a estrada bi-oceânica. Você deve ir embora, Evo.

Já que só viaja em seu luxuoso jato privado, fez com que reduzissem os preços das passagens aéreas e todo mundo pode viajar ao seu destino favorito. Você deve ir embora, Evo.

Como o Evaristo não sabe matemática, o PIB duplicou de 9,5 a 24,6 bilhões de dólares. Vivemos 11 anos seguidos de crescimento econômico e em 2017 se prevê que Bolívia liderará a economia regional. Você deve ir embora, Evo.

Uma vez que o socialista ficou milionário, aumentou o salário mínimo nacional em 127% e com isso foram tiradas da pobreza 2 milhões de pessoas e a pobreza se reduziu de 34% a 15,1%. A desigualdade entre ricos e pobres reduziu-se de 128 vezes a 60 vezes. Você deve ir embora, Evo.

Como Evo Morales não tem casa mandou construir 20 mil vivendas sociais. Na Bolívia, 7 de cada 10 pessoas tem casa própria. E dotou de 400 mil títulos de propriedade a camponeses para garantir seu patrimônio. Como o ditadorzinho não tinha serviços básicos no campo incrementou o acesso à água potável em 85,2% e 78% da população conta com energia elétrica. Você deve ir embora, Evo.

Durante estes espantosos anos, as pessoas puderam comprar sua primeira casa, seu primeiro carro ou viajar pelo mundo, mas nos fartamos de viver bem e queremos que você vá embora, Evo. Queremos voltar a esses tempos onde existiam cidadãos de primeira e segunda classe, como nas companhias aéreas estrangeiras. Queremos voltar a essas gloriosas épocas quando não era qualquer pessoa que podia sonhar em ascender de classe social, onde apenas uns poucos podiam ter acesso a salas VIP de cinema, “fast food” ou roupa de marca. Queremos que regressem esses tempos em que os índios não podiam pisar na praça ou as mulheres não chegavam ao poder político, e nem todos podiam opinar livremente sobre sua orientação sexual ou ideologia política.

Queremos que você vá embora, Evo e não volte mais, para que quando nos governe um profissional, de boa família e sobrenome conhecido que apenas favoreça os seus, sintamos saudades de você e agradeçamos tudo o que fez por esse país.

*Advogado boliviano. Enviado por Jorge Mansilla, de La Paz para Diálogos do Sul