Notas internacionais, por Ana Prestes: 31 de julho de 2018

Equador, Argentina, Paraguai, Nicarágua: destaques desta terça-feira, 31 de julho

Ana Prestes

0

Todos os posts do autor

- O presidente do Equador, Lenin Moreno, está construindo um acordo com os EUA para a extradição de Julian Assange, que se encontra desde 2012 na Embaixada do Equador em Londres.

- Ainda sobre o Equador, o delator do Caso Balda (Raul Chicaiza) - no qual o ex-presidente Rafael Correa está sendo acusado de ser mandante de um sequestro de duas horas de um deputado oposicionista em 2012 - teria confessado receber suborno para acusar Rafael Correa.

- Está se aproximando um histórico 8 de agosto na Argentina. O dia em que o Senado pode aprovar a lei de interrupção voluntária da gravidez, já aprovada na Câmara dos Deputados. Votarão 72 senadoras e senadores. O não conta com uma ligeira vantagem e já começam negociações de alterações no texto para tentar reverter votos. Algumas mudanças poderiam ser reduzir de 14 para 12 semanas de gestação o prazo para realização da interrupção e ainda retirar o ponto de objeção de consciência institucional que está no texto da lei. Os protestos no dia votação prometem ser massivos de ambos os lados, embora todos reconheçam que as mobilizações pró-aborto têm sido muito maiores.

-  A jovem palestina Ahed Tamimi (17 anos), que estava presa pelos israelenses desde os 16 anos e enfrentava 12 acusações, foi liberta após construir um acordo com Israel. Ao sair da prisão, ela declarou: "vou continuar meu curso universitário e estudarei direito para poder abordar a causa do meu país em todos os fóruns internacionais e poder representar a causa dos prisioneiros".

- O suspeito de matar a jovem brasileira Raynéia Gabriela da Costa foi preso na Nicarágua. Enquanto isso, aumenta a tensão na Nicarágua, com os oposicionistas tentando buscar uma ligação do segurança privado que matou a jovem com a Frente Sandinista e Ortega segue em queda de braço com setores da Igreja que tem barrado os avanços da mesa de diálogo. 

- Após seis anos de uma prisão injusta, foram absolvidos os camponeses de Curuguaty, no Paraguai. A Corte Suprema de Justiça do Paraguai determinou que não se pode comprovar que os acusados tiveram qualquer tipo de participação no massacre de 15 de junho de 2012, quando seis policiais e onze trabalhadores rurais morreram após um enfrentamento provocado pela ação de franco atiradores (alguns com helicopteros) no acampamento de camponeses sem terra "Marina Kue", em Curuguaty. Naquele dia, 324 policiais rodearam 60 camponeses, sendo metade mulheres, crianças e idosos. Os ocorridos em Curuguaty foram usados para justificar o golpe parlamentar contra o então presidente Lugo e os camponeses ficaram presos injustamente por 6 anos.

- A revista The Economist traz uma matéria dedicada à nova “rota da seda” chinesa. Com o título “Planos de cinturão e rota da China são para são bem vindos e preocupantes”, matéria fala do plano anunciado em 2013 e que se tornou um projeto global. O mais ambicioso plano de infraestrutura jamais realizado traz a construção de estradas de rodagem e de ferro, portos e aeroportos, interligando principalmente Ásia e África. Só em 2017, 24 chefes de Estado visitaram a China para manifestar interesse no projeto. Ao todo 70 nações podem ser envolvidas. Um exemplo da agilidade e potencia do projeto é a ferrovia Mombaça – Nairóbi que ficou pronta com 18 meses de antecedência! Uma das máquinas chinesas usadas está sendo chamada de Monstro de Ferro – ela constrói as ferrovias, transporta, posiciona e fixa os trilhos enquanto anda.

Reprodução
.

- Uma pesquisa da Sky News revelou que pelo menos metade dos britânicos aceitaria a realização de um novo referendo sobre o Brexit. O referendo colocaria para avaliação três opções: (1) abandonar a UE sob os termos que T. May firmar com Bruxelas; (2) sair do bloco sem nenhum acordo e (3) continuar sendo membro do bloco.

- O México teve 25 assassinatos a cada 100 mil habitantes em 2017. A cada dia morrem 85 pessoas. São os números do Instituto Nacional de Estatística publicados nesta segunda (30). Reduzir a violência no país será um dos grandes desafios do novo presidente López Obrador.

 - Suprema corte britânica decidiu que familiares poderão decidir se um paciente sem consciência e mantido vivo por aparelhos cessará o tratamento. Antes, as famílias precisavam consultar um juiz. Há em todo o Reino Unido 24 mil pacientes em estado vegetativo nos hospitais e os órgãos de saúde temem um desligamento em massa.

- O Tour de France, uma famosa corrida de bicicletas, não aceita mulheres. Por isso, um grupo de mulheres ciclistas percorreu os 3,3 mil quilômetros da prova sem estarem inscritas ou receberem qualquer premiação para mostrar aos organizadores que podem ser admitidas na prova, pois fazem o percurso tal e qual um homem ciclista.

- Zimbábue realizou no domingo (29) as primeiras eleições sem Mugabe, que dirigiu o país de 1980 a 2017. 

- Camboja e Mali também tiveram eleições no último final de semana. 

- Hoje (31) será o melhor dia para ver Marte a olho nu, ele está muito próximo da Terra. Só esteve assim tão próximo há 15 anos.

Comentários