Notas internacionais, por Ana Prestes: 2 de agosto de 2018

Zimbábue, Mali, África do Sul, Marrocos e Costa Rica: destaques desta terça-feira, 2 de agosto de 2018

Ana Prestes

Todos os posts do autor

- Zimbábue vive tensão pós-eleições. Exército foi empregado para reprimir protestos. Primeiros dados da eleição mostram que o atual presidente Emmerson Mnangagwa conquistou maioria parlamentar. O atual presidente assumiu em novembro passado no lugar de Mugabe, que estava no poder desde 1980. A substituição foi fruto de disputa interna do governo, em que a opinião dos militares prevaleceu. Opositor Nelson Chamisa revindica vitória eleitoral.

- No Mali, onde também houve eleição, a oposição igualmente contesta os resultados eleitorais.

- 25 anos após o fim do apartheid, a maior parte das terras da África do Sul permanece em mãos de brancos. Desde que assumiu o governo em 1994, o CNA vem promovendo compra de terras e redistribuição. A meta a ser alcançada até 2014 era de que 30% das terras já estivessem com a população negra, mas apenas 8% foram repassadas. Agora o presidente Cyril Ramaphosa adota uma medida de desapropriação sem compensação. (Fonte: Reuters)

- Mohamed VI, Rei do Marrocos, cumpriu 19 anos de reinado. O país que oprime o povo saharauí também é o que vive hoje o epicentro da migração vinda de toda a África e que tenta ingressar na Europa.

- ACNUR (agencia das nações unidas para refugiados) alertou para que pelo menos 23 mil nicaraguenses podem ter buscado refúgio na Costa Rica desde o início da tentativa de desestabilização do governo em 18 de abril deste ano.

- A maior usina de dessalinização de água a América Latina será no Chile. A obra será executada pela chilena Trends Industrial S.A. com a participação da saudita Almar Water Solutions e da alemã Synlift. Investimento inicial é de 500 milhões de dólares.

- Um acordo entre o Mercosul e o Japão pode ser lançado durante a reunião do G20 em novembro, na Argentina.

- Líder iraniano Hassan Rowhani recusou a oferta de diálogo vinda de Trump. Disse: que o Irã “não é a Coreia do Norte”. O porta voz do MRE iraniano completou: “sanções e pressões são o exato oposto de diálogo”.

- Israel voltou a bloquear hoje (2) o fornecimento de gás e combustível na Faixa de Gaza. O território palestino já sofre com cortes de eletricidade.

- Cristina Kirchner foi convocada para prestar depoimento em 13 de agosto, sobre supostos casos de corrupção em seu governo. Cerca de 12 empresários e ex-funcionários do governo foram presos. As denúncias estão baseadas nas notas de 8 cadernos de um ex-motorista do staff do ex-ministro do planejamento, Julio de Vido.

- Uma multidão foi às ruas ontem em Buenos Aires em homenagem ao ativista Santiago Maldonado desaparecido há exatamente um ano e que teve seu corpo encontrado meses depois.

- Papa Francisco pregou contra a pena de morte. Uma alteração foi feita no artigo 2267 do catecismo católico e passa a valer a partir de 1 de agosto de 2018. A pena de morte fica como inadmissível para os católicos.

Comentários