Notas internacionais, por Ana Prestes: 30 de novembro de 2018

Repercussão internacional de prisão de governador carioca, Macron critica países que não respeitam Acordo de Paris, Trump cancela reunião com Putin, destaques desta sexta-feira

Ana Prestes

Todos os posts do autor

- A prisão do governador do Rio de Janeiro no dia de ontem (29/11) foi amplamente divulgada pela imprensa internacional. New York Times, Washington Post, Clarín, El País, BBC, Le Monde, entre outros.

- Sobre o encontro com John Bolton, Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, no dia de ontem (29/11), Bolsonaro comentou que quer uma “grande aproximação” com Washington e que existe a possibilidade de Trump vir à sua posse em 1º de janeiro. Bolton também trouxe um convite de Trump para uma visita oficial do presidente, após empossado, aos EUA. Ainda segundo Bolsonaro, foi falado sobre geopolítica, questão armamentista, Venezuela e Cuba.

- Presidente Macron, da França, se referiu ontem à “mudança política” no Brasil e se disse contrário a firmar acordos com países que não respeitam o Acordo de Paris e que não se comprometem a agir contra os efeitos das mudanças climáticas.

- Por falar em mudanças climáticas, um relatório da Organização Meteorológica da ONU, divulgado nesta quinta (29/11), prevê que as temperaturas globais devem aumentar entre 3 e 5 graus celsius neste século. Cientistas afirmam que o ideal é manter o aumento em até 2 graus para evitar elevação do nível do mar e perda de espécies de plantas e animais.

- Dez anos após a formação da plataforma do G20, no enfrentamento da crise econômica mundial de 2008, está emperrada a possibilidade de um documento final no encontro que começa hoje em Buenos Aires. O conflito entre EUA e China está no centro do impasse. Só neste ano de 2018, o encontro do G7 e o da APEC não conseguiram chegar a documentos finais consensuais, devido à postura norte-americana.

- Trump cancelou mesmo seu encontro com Putin durante o G20. O cancelamento foi justificado pela recusa russa de devolver as três embarcações ucranianas apreendidas no estreito de Kerch, mar de Azov, na península da Crimeia. Um porta voz do Kremlin disse ter sabido do cancelamento pelo Twitter e que não houve comunicado oficial da diplomacia americana.

- Ainda sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia, ontem (29/11) o presidente ucraniano Poroshenko pediu à OTAN o envio de embarcações de guerra para a região do mar de Azov. O presidente, que está mal posicionado na corrida eleitoral, afirma que a Rússia já anexou a Crimeia e agora quer anexar todo o país. A chanceler Angela Merkel pediu prudência a Poroshenko, durante um encontro em Berlim, e disse que tratará o tema com Putin no G20. A Ucrânia não é membro da OTAN.

- Ao chegar em Buenos Aires, para o G20, o presidente Temer disse que defenderá o multilateralismo e não o isolacionismo durante o encontro. Ele participa hoje da abertura do encontro e de uma reunião informal com os países membros do BRICS.

- O presidente do Chile, Sebastián Piñera, promulgou uma Lei de Identidade de Gênero que permite às pessoas mudarem de sexo em sua documentação a partir dos 14 anos de idade. Durante a promulgação da lei, Piñera anunciou que se estava colocando fim a uma injusta discriminação em uma sociedade com muitos preconceitos. Para os jovens entre 14 e 18 anos será necessária autorização dos pais. A questão ganhou muita visibilidade no país após o filme chileno “Uma mulher fantástica” ter ganhado o Oscar de melhor filme estrangeiro neste ano de 2018.

- O Senado norte-americano aprovou uma resolução para retirar a participação dos EUA na guerra do Iêmen, na qual hoje apoia a Arábia Saudita. Estima-se que mais de 8 milhões de pessoas estejam passando fome no Iêmen e cerca de 57 mil já morreram.

Reprodução
Repercussão internacional de prisão de governador carioca, Macron critica países que não respeitam Acordo de Paris

Comentários