União Europeia acusa Google de abuso em controle de motor de buscas na internet

Gigante da informática terá prazo de até dez semanas para responder às denúncias de abuso de posição dominante feitas pela Comissão Europeia

A Comissão Europeia, órgão executivo da UE (União Europeia), acusou formalmente nesta quarta-feira (15/04) o Google de abusar no controle de seu sistema de buscas na internet, anunciando a abertura de uma investigação antimonopólio ao Android, seu sistema operacional para smartphones.

EFE

Margrethe Vestager representou Executivo do bloco em caso de abuso de posição dominante na capital belga


A decisão foi anunciada em Bruxelas pela comissária europeia de Antitruste, Margrethe Vestager, que alegou estar preocupada pelo fato de a companhia obter vantagem injusta com serviço de compras online em relação a outros concorrentes.

Para o bloco europeu, o Google abusou de sua posição dominante nos mercados dos serviços gerais de buscas na internet no espaço econômico europeu nos últimos cinco anos, “favorecendo sistematicamente a comparação de seu próprio produto de compra nas páginas de resultados de buscas gerais".

Para o Executivo comunitário, a visão preliminar é que "tal conduta infringe as normas antimonopólio da União Europeia, porque reprime a concorrência e prejudica os consumidores".

'Regulamentação da mídia é condição para liberdade de expressão', diz sociólogo francês

Rússia proíbe a criação de memes na internet com imagens de figuras públicas

Dilma anuncia parceria com Facebook para ampliar conexão gratuita à internet no Brasil

 

Em resposta, Amit Singhal, vice-presidente sênior de Pesquisa da companhia, rebateu que "enquanto o Google for o motor de busca mais utilizado, as pessoas podem encontrar e acessar informações de várias maneiras diferentes. As alegações de danos, para os consumidores e concorrentes, têm-se revelado estar longe da verdade”, de acordo com a corporação.

A investigação do caso começou em 2010, quando líderes europeus se questionaram sobre a possibilidade de abuso de posição dominante por parte do Google.

A partir de agora, a gigante da informática terá dez semanas para responder à Comissão Europeia a respeito das alegações para convencer à diretoria do órgão de que não houve uma tentativa de comportamento anti-concorrrência.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Espanha debate exumação dos restos mortais de Franco

Mausoléu do ex-ditador integra monumento para homenagear mortos da Guerra Civil e virou destino de peregrinação de extremistas de direita; governo quer transformar memorial num local de reconciliação nacional