Divulgação

Bolsonaro foi fundamental para derrubada de Dilma, diz diretor do documentário 'Excelentíssimos'

Filme que retrata o processo de impedimento de Dilma Rousseff estreia dia 22 de novembro e traz cenas inéditas de articulações políticas no Congresso

Lucas Estanislau

Todos os posts do autor

O presidente eleito Jair Bolsonaro foi fundamental para o processo de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016. É o que acredita Douglas Duarte, diretor do documentário 'Excelentíssimos', que retrata os bastidores do processo que derrubou a presidente eleita em 2014.

Para Duarte, o filme conseguiu capturar o início da campanha de Bolsonaro, que utilizou o impeachment a seu favor.

"A gente filmou o que se pode considerar o dia zero da campanha presidencial do Bolsonaro, estávamos no dia em que ele lançou sua pré-candidatura. Foi muito chocante pra gente observar multidões apoiando as bobagens que ele dizia", afirma Duarte.

O diretor ainda afirma que Bolsonaro e outros parlamentares foram capazes de organizar "um cerco ao Congresso que, para desavisados, poderia parecer uma manifestação legítima e espontânea".

"Bolsonaro foi um adepto de primeira hora [do impeachment]. Ele farejou o sangue no vento e viu que era o momento de se lançar", destaca Duarte.

Segundo o diretor, o documentário, que se propunha a registrar os mecanismos do Congresso Nacional que se davam longe das câmeras, foi "atravessado" pelo processo de impeachment, o que contribuiu para mostrar de forma contundente as articulações dos parlamentares.

"O processo de impeachment ajudou a expor mais a lógica que rege o dia a dia do Congresso brasileiro. As justificativas moralistas para certas atitudes, o toma lá dá cá, isso tudo foi registrado", conta o diretor.

"Excelentíssimos" entra em cartaz no dia 22 de novembro em São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Brasília Fortaleza e Recife. As sessões ainda contarão  com debates após a exibição.

Assista à entrevista completa: 


Comentários