Rússia expulsa dois diplomatas alemães

Ação ocorre depois de a Alemanha ter expulsado dois diplomatas russos, na semana passada

Redação

Deutsche Welle Deutsche Welle

Bonn (Alemanha)

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia convocou o embaixador alemão nesta quinta-feira (12/12) para comunicar que dois diplomatas da Alemanha serão expulsos de Moscou.

O gesto é uma retaliação ao caso dos dois oficiais russos que haviam sido expulsos, na semana passada, pela Alemanha, devido a uma possível conexão com o assassinato de um cidadão georgiano e ex-comandante checheno, em Berlim.

"Como medida de retaliação, o lado russo decidiu declarar dois funcionários da embaixada alemã na Rússia 'personae non gratae'", divulgou o governo russo em um comunicado.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


A Alemanha, por meio de um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, disse que a ação "envia um sinal equivocado e é injustificada”. Alegou, ainda, que a Rússia não teria colaborado com as investigações referentes ao assassinato.

picture-alliance/AA/S. Karacan
Ação ocorre depois de a Alemanha ter expulsado dois diplomatas russos, na semana passada

Procuradores alemães assumiram a investigação da morte de Zelimkhan Khangoshvili, de 40 anos, depois de concluírem que evidências apontavam para o envolvimento dos governos russo ou checheno. Os russos negam qualquer participação.

Khangoshvili teria trabalhado para a Ucrânia e também para a Rússia durante a Segunda Guerra da Chechênia, entre 1999 e 2009, e foi morto em agosto, baleado em plena luz do dia em um parque do bairro de Moabit, na capital alemã.

Nesta semana, o presidente russo, Vladimir Putin, alegou que a vítima era um "bandido” e um "assassino", e que a Rússia repetidamente pediu à Alemanha - sem sucesso - que ele fosse extraditado.

Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, disse nesta quinta que a vítima teve, segundo a polícia russa, "participação em graves e sangrentos atos terroristas e em assassinatos em massa" na Rússia.

Comentários