'Não vou cair em nenhuma provocação', diz López Obrador sobre crise com Bolívia

Ex-presidente boliviano Jorge Quiroga chamou mexicano de “valentão e abusivo”, “servil com os abusivos e autoritários” e “cínico, sem vergonha”

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, descartou nesta sexta-feira (27/12) cair no que chamou de “provocações” no conflito diplomático entre o país e a Bolívia.

“Vamos seguir denunciando para que se respeite a soberania de nosso país, que se respeite a embaixada. Não se pode violar o direito internacional, tem que se garantir o direito de asilo, e esperamos que se atue com sensatez”, disse o presidente.

“Não vou cair em nenhuma provocação. Vamos esperar que este assunto se resolva, não vamos nos focar em disse-me-disse, não está no nosso nível. Vamos fazer valer nossa política internacional”, prosseguiu.

A resposta foi dada a uma pergunta sobre declarações do ex-presidente boliviano Jorge Quiroga, que tem o cargo de “delegado presidencial para o exterior”. Ele chamou López Obrador nesta quinta (26/12) de “valentão e abusivo”, “servil com os abusivos e autoritários”, “cínico, sem vergonha” e afirmou que o mexicano “se fez de biltre [canalha, vil] com a Bolívia”

As declarações de Quiroga vieram no mesmo dia em que o México decidiu apresentar uma queixa na Corte Internacional de Justiça, em Haia (Holanda), contra a Bolívia por conta das atividades militares desenvolvidas pelo governo autoproclamado de Jeanine Áñez em torno da embaixada do país em La Paz e da residência oficial da embaixadora.

Gobierno de México
López Obrador disse que não vai cair em 'provocações'

O recurso será apresentado depois de, nesta semana, a Bolívia aumentar de seis para 90 o número de policiais e militares em torno da sede diplomática, onde estão nove integrantes do ex-governo de Evo Morales que pediram asilo.

‘Encapuzados’

Nesta sexta, a embaixadora mexicana María Teresa Mercado disse que se reuniu com diplomatas espanhóis na residência, mas que o automóvel em que estavam, com placas diplomáticas, foi detido. Em um tuite posteriormente apagado, Mercado disse que eles foram agredidos e que essa conduta viola a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas.

A imprensa boliviana reportou que um carro com “encapuzados”, também com placa diplomática, tentou entrar na embaixada. Vizinhos teriam começado a filmar o veículo, que foi impedido de prosseguir caminho. Imagens mostram o carro dando ré e, inclusive, se chocando com carros de polícia, e deixando o local.

(*) Com La Jornada

Comentários