Itamaraty cancela reunião entre diplomatas brasileiros e iranianos em Teerã

Entre os motivos do cancelamento estaria a divergência entre Brasil e Irã a respeito do ataque norte-americano que matou o general iraniano Qassim Soleimani, publicou a Folha de São Paulo

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil cancelou uma reunião agendada para esta quarta-feira (08/01), entre a encarregada de negócios da embaixada brasileira em Teerã, Maria Cristina Lopes, e diplomatas iranianos na chancelaria em Teerã.

Segundo fontes ouvidas pelo jornal Folha de S.Paulo, entre os motivos do cancelamento estaria a divergência entre Brasil e Irã a respeito do ataque norte-americano sobre o aeroporto de Bagdá, no Iraque, na última semana, que assassinou o general iraniano Qassim Soleimani. 

Ainda de acordo com o periódico, o Itamaraty achou melhor esperar o retorno do embaixador brasileiro no Irã, Rodrigo Azeredo, que está de férias, para dar continuidade a qualquer contato com o governo iraniano. A agenda do encontro cancelado pelo Itamaraty envolvia temas relacionados à cooperação cultural entre os dois países.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


Após o ataque norte-americano que matou Soleimani, o Ministério de Relações Exteriores brasileiro divulgou nota na qual manifestou apoio "à luta contra o flagelo do terrorismo". O presidente Jair Bolsonaro reiterou o conteúdo do comunicado e disse que "nós não aceitamos o terrorismo. Não interessa o lugar do mundo em que ele venha a acontecer".

Wikicommons
Agenda do encontro cancelado pelo Itamaraty envolvia temas relacionados à cooperação cultural entre os dois países.

No mesmo dia, o Irã convocou a encarregada de negócios brasileira para explicar a posição. A convocação de um embaixador ou representantes diplomático para dar explicações é um gesto forte por parte de um país como uma maneira de demonstrar descontentamento.


Comentários