Venezuela rechaça ameaças de Trump durante Estado da União: 'discurso delirante'

'Presidente norte-americano, em seu discurso delirante, reiterou seu desprezo pela paz, pela vida e pela soberania da Venezuela', afirmou ministro das Relações Exteriores do país

O governo da Venezuela emitiu nesta quarta-feira (05/02) um comunicado rechaçando as declarações feitas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante seu discurso do Estado da União, classificando-o como "delirante" e "cheio de mentiras". 

O ministro das Relações Exteriores do país, Jorge Arreaza, afirmou que o mandatário norte-americano não "respeita o povo venezuelano" e disse que Trump reiterou seu "desprezo pela paz".

"Ao proferir ameças, Trump não respeita o povo venezuelano. O presidente norte-americano, em seu discurso delirante, reiterou seu desprezo pela paz, pela vida e pela soberania da Venezuela", disse Arreza. 


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


O governo venezuelano repudiou as "ingerências e grosserias" de Trump nos assuntos internos do país, assim como disse que o norte-americano "atormenta" "a América Latina com miséria em nome de uma falsa liberdade". "A Venezuela é e será irrevogavelmente livre e independente. Apenas o povo venezuelano determina seu presente e futuro soberano e socialista", defende o comunicado.

Reprodução
Jorge Arreaza, ministro das Relações Exteriores da Venezuela, classificou como "delirante" declarações de Trump

Nesta terça-feira (04/02), Trump usou seu discurso do Estado da União para reforçar promessas de campanha e afirmou que seu país não reconhece os governos legítimos de Cuba, Nicarágua e da Venezuela. 

O autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, estava presente durante as declarações de Trump, sendo apresentado como "presidente verdadeiro" da Venezuela. 

Ainda na nota liberada pela Venezuela, Arreaza disse que as falas do presidente dos Estados Unidos, em relação à integridade do país "ofendem e o desrespeitam". O ministro afirmou que Trump continua com um "esforço agonizante" para tentar com uma "estratégia fracassada" mudar o governo de Nicolás Maduro. 

"Em um esforço agonizante para reviver a já fracassada estratégia de mudança do governo pela força, anexada a um roteiro pré-fabricado, no meio de um show eleitoral de circo e fazendo uso de um discurso cheio de mentiras, chauvinismo e declarações supremacistas, Trump ofende e desrespeita o povo venezuelano ao fazer ameaças violentas contra sua integridade e contra o governo constitucional, legítimo e democrático do presidente Nicolás Maduro", afirmou.

Comentários