Uma mulher foi morta a cada 25 horas na Argentina nos primeiros meses de 2019, aponta relatório

Desde 2015, 1.193 mulheres foram assassinadas no país; somente no mês de maio foram registrados 20 casos

Um relatório divulgado nesta semana pelo observatório argentino de violência de gênero Agora Que Eles Nos Veem mostrou que em 2019, uma mulher foi morta a cada 25 horas na Argentina em 2019.

O documento ainda aponta que entre os dias 1º de janeiro e 20 de maio deste ano, foram registrados 133 feminicídios no país. Somente no mês de maio, foram relatados 20 casos e, segundo o observatório, a capital do país, Buenos Aires, apresentou 52 registros.

Desde 2015, a Argentina registrou 1.193 assassinatos de mulheres. A presidente do observatório, Raquel Vivanco, afirmou que os números de feminicídios são "alarmantes". 

"O governo de Maurício Macri não realiza qualquer política pública destinada a erradicar a violência contras as mulheres", disse Vivanco. O observatório acompanha desde 2015 os números de casos de feminicídio na Argentina.

O documento ainda indicou que 71% dos casos aconteceram dentro da casa das vítimas e 31%, em lugares públicos. 

De acordo com o observatório, 17% das mulheres assassinadas haviam feito denúncia e 8% tinham medidas de proteção estabelecidas pela justiça argentina.

O texto ressalta que 42% dos agressores eram parceiros das vítimas e 21% eram ex-companheiros. A porcentagem de agressores no vínculo familiar é de 14%. 

Pixabay
Desde 2015, Dede 2015, 1.193 mulheres foram assassinadas na Argentina.

Comentários