Hoje na História: Thomas Edison inventa a lâmpada elétrica

Hoje na História: Thomas Edison inventa a lâmpada elétrica

Max Altman

Até que enfim, há 130 anos, acabava a iluminação a querosene, a gás ou a óleo incandescente. Um inventor de gênio trouxe ao mundo pela primeira vez, em 21 de outubro de 1879, a luz elétrica. O norte-americano Thomas Alva Edison (1847–1931) conseguiu produzir uma iluminação durável fazendo passar a corrente elétrica através de um filamento de carbono dentro de uma ampola de vidro vazia. A lâmpada, em forma de pera, hoje funcionando com filamento de tungstênio, passou a ser um objeto essencial e mais do que familiar para bilhões de pessoas em residências em todos os quadrantes do planeta.

Thomas Edison foi um gênio na aplicação prática de princípios científicos e um dos maiores e mais prolíficos inventores de seu tempo. Sua educação formal estava reduzida a três meses de escolaridade em Port Huron, no Michigan (EUA), em 1854. Durante anos, trabalhou como jornaleiro e foi nesse período que passou a sofrer da surdez que só aumentou com o correr dos anos. Mais tarde, trabalhou como telegrafista em várias cidades.

As primeiras invenções de Edison foram um transmissor e receptor para um telégrafo automático; um sistema quadruplex para a transmissão simultânea de quatro mensagens; e um sistema melhorado de informação financeira. Em 1877, inventou o transmissor telefônico a carbono para a Western Union Telegraph. Seu fonógrafo, patenteado em 1878, chamou a atenção como o primeiro aparelho de sucesso da espécie.

Anúncio de lâmpada elétricaEm 1879, Edison criou a lâmpada incandescente, seu primeiro invento comercialmente viável. Para fazê-la funcionar, desenvolveu um sistema de distribuição elétrico para luz e força, inclusive geradores, motores, soquetes de luz, caixas de junção, fusíveis de segurança, condutores subterrâneos e outros dispositivos. A conquista mais vistosa neste campo foi a usina de Pearl Station, na cidade de Nova York – a primeira central elétrica permanente a gerar luz e força do mundo. Construiu e operou também uma ferrovia elétrica experimental e produziu uma bateria com grande capacidade de armazenamento de energia, em aço e níquel com um eletrólito alcalino.

Outros inventos significativos foram o “Kinetoscópio”, ou máquina de imagens sequenciais rápidas. ou Tempos depois, Edison demonstrou experimentalmente a sincronização da imagem e som. O cinema falado baseou-se nesse trabalho.

Edison detinha mais de 1.300 patentes nos Estados Unidos e no exterior. Suas oficinas de trabalho em Menlo Park, na Califórnia (1876), e em West Orange, em Nova Jérsei (1887), foram significativas precursoras das modernas pesquisas industriais de laboratório em que turmas de trabalhadores, mais do que um inventor solitário, investigam sistematicamente um dado objeto.

Um memorial dedicado a Thomas Edison foi erguido em 1938 em Menlo Park. O laboratório de Edison e outras edificações associadas a sua carreira foram preservadas e reproduzidas na Greenfield Village, também no Michigan. Algumas de suas várias companhias foram consolidadas para formar a gigante General Electric (GE).

 

*Max Altman (1937-2016), advogado e jornalista, foi titular da coluna Hoje na História da fundação do site, em 2008, até o final de 2014, tendo escrito a maior parte dos textos publicados na seção. Entre 2014 e 2016, escreveu séries especiais e manteve o blog Sueltos em Opera Mundi.

Comentários

Leia Também