Cientistas descobrem provas de confronto há 30 mil anos entre humanos e 'preguiças gigantes'

Segundo pesquisa, animal media mais de dois metros de altura e possui garras enormes nas patas dianteiras; 'está tudo escrito nas pegadas', afirmou pesquisador

Redação

0

Todos os posts do autor

Um grupo de cientistas do Reino Unido descobriu provas de confronto humano com preguiças gigantes há cerca de 30 mil anos. É o que mostra um estudo publicado na revista semanal Science Advances em 25 de abril.

Pegadas fossilizadas nas salinas do Monumento Nacional de White Sands, no estado do Novo México, nos EUA, indicaram que nossos antepassados não só tiveram contato com as “preguiças gigantes”, mas também as caçaram.

“A história que podemos ler nas pegadas é que os humanos estavam seguindo o animal de perto”, disse Matthew Bennett, um dos pesquisadores envolvidos na descoberta.

É a primeira vez que são encontrados registros físicos do encontro de seres humanos com esse tipo de animal que, segundo o artigo, media mais de dois metros de altura e possui garras enormes nas patas dianteiras.

Science Advances

Segundo pesquisa, animal media mais de dois metros de altura e possui garras enormes nas patas dianteiras

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

Esse conjunto de pegadas encontrado no Novo México mostra uma cena de confronto entre humanos e animal. Segundo Bennett, “enquanto alguém se ocupava por distrair a presa com algumas manobras, outra pessoa enfrentava o animal e tentava dar o golpe fatal. É uma história interessante e está tudo escrito nas pegadas”.

Para os pesquisadores, o fato de a “preguiça gigante” não existir há mais de 11 mil anos foi a caça praticada pelos seres humanos.

Comentários