Hoje na História: 1975 - Exército de terracota é encontrado em Xian

Hoje na História: 1975 - Exército de terracota é encontrado em Xian

Max Altman

Todos os posts do autor

Arqueólogos chineses anunciam em 11 de julho de 1975 a descoberta de uma gigantesca tumba de 20 mil m2 do primeiro imperador de Qin Shihuangid, que reinou de 221 a 207 a. C., perto de Xian. Ela continha estátuas de mais de seis mil soldados e cavalos em terracota em tamanho natural, um verdadeiro exército enterrado junto com o soberano a fim de acompanhá-lo ao “outro mundo”. Começada em 221 a. C., a obra teria levado 36 anos e cerca de 700 mil trabalhadores ajudaram a completá-la. Os guerreiros todos têm rosto diferente e estão armados, prontos para combate.

Wikicommons
 

O imperador Qinshihuang foi um dos mais importantes governantes da história chinesa. Deixou um legado tão moralmente complicado quanto o de Pedro o Grande. Como o czar russo, ficou conhecido por suas contribuições para a implantação de um Estado moderno tanto quanto por ter sacrificado a vida de milhares de trabalhadores em troca de seus visionários projetos.

Embora vilipendiado pela tirania, Qinshihuangdi é admirado pelas diversas políticas radicais e perspicazes. Para unificar sete distintos Estados numa única nação, padronizou uma escrita comum e estabeleceu sistemas monetários e medidas uniformes. A fim de tornar eficiente o governo, codificou um sistema legal e submeteu governantes hereditários a um sistema administrativo centralmente conduzido. Para melhorar a produtividade manufatureira, encorajou reformas agrícolas e construiu muitos caminhos. E num esforço para limitar a invasão de tribos bárbaras, mandou construir uma fortificação ao longo da fronteira norte, a primeira Grande Muralha.

As obras e as esculturas tiveram início tão logo o imperador ascendia ao trono. Todos os trabalhadores e as concubinas sem filhos foram com ele enterrados a fim de salvaguardar os segredos. Segundo os “Registros Históricos” de Sima Qian, escrito um século depois, céu e terra são representados na câmara central da tumba. O teto, incrustado de pérolas, representa o céu estrelado. O piso, feito de pedra, forma o mapa do reino chinês; 100 rios de mercúrio fluem através dele. E todos os tipos de tesouro são protegidos por armadilhas com explosivos mortais.

O principal do mausoléu ainda está por ser escavado, em parte porque os arqueólogos ainda estão incertos quanto a sua exata localização. Com frequência os imperadores construíam um conjunto de túmulos funerários simplesmente para dificultar aos ladrões a localização do verdadeiro túmulo. O túmulo que marca hoje a tumba do imperador não indica necessariamente o local de sua maravilhosa câmara central.

Leia mais:
1226 – Morre São Francisco de Assis
1453 - Constantinopla é tomada pelos turcos
64 - Apóstolo Pedro é crucificado pelos romanos
1905 - Papa Urbano II incita a Guerra Santa e dá início às Cruzadas
1128 - Papa Honório II reconhece os cavaleiros da Ordem dos Templários 

A pedra calcário e o mármore Kouroi e Kourai do final do Período Arcaico Grego (535-480 a. C.) refutam a tese de que os Guerreiros de Terracota foram as primeiras estátuas portáteis da história da arte mundial. Enquanto os gregos antigos esculpiam meticulosamente na pedra estátuas individuais, a dinastia Qin projetava a produção em escala. Dezenas de milhares de estátuas humanas e de animais foram manufaturadas conforme uma série de processos que começava com a modelagem de pernas sólidas.

A montagem de cada uma das estátuas ocas sobre pernas sólidas permitiu aos artesãos resolver o desconcertante problema de como fazer uma estátua portátil. Cabeças, braços e pernas ocos, feitas de terracota, foram juntados com argila e colocados sobre as pernas sólidas. Depois de montado esse modelo sem acabamento, uma camada de argila era acrescentada, e aspectos como olhos, boca, nariz, bem como detalhes de roupa eram esculpidos na argila enquanto ainda estava flexível. Peças adicionais como barba, orelhas e armadura eram modeladas separadamente e pregadas, após o que a figura toda era levada ao fogo em alta temperatura.


Outros fatos marcantes da data:
11/07/1944 - conde Claus von Stauffenberg leva bomba a residência de Hitler
11/07/1989 - Morre Laurence Olivier, o grande ator britânico dos palcos e da tela
11/07/1995 - Estados Unidos e Vietnã estabelecem relações diplomáticas plenas


Siga o Opera Mundi no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Comentários