Após exumação, causa da morte de Simon Bolívar ainda é desconhecida, diz Venezuela

Após exumação, causa da morte de Simon Bolívar ainda é desconhecida, diz Venezuela

Ansa

Todos os posts do autor

O vice-presidente da Venezuela, Elías Jaua, informou nesta segunda-feira (25/07) que os estudos realizados nos restos mortais de Simón Bolívar, exumados em junho de 2010, não chegaram a uma conclusão sobre a causa de sua morte.

Jaua disse que os estudos realizados "não permitem conhecer as causas da morte e, menos ainda, respaldar as teorias de assassinato, ainda que fica aberta a possibilidade de envenenamento não intencionado por arsênico ou cantaridina".

No entanto, segundo o vice-presidente, "os estudos concluíram que o Libertador (como Bolívar é conhecido no país) era magro, destro e gozou de boa alimentação".

Leia mais:
Wikileaks: EUA pediram detalhes sobre bolivarianismo no Brasil
Aprendendo a sobre(viver) sem Hugo
Venezuela aplica fortes medidas para diminuir consumo de energia 
Venezuela: o inconfessável desejo e a realidade

Jaua lembrou que o revolucionário morreu aos 47 anos e que a investigação revelou que ele media cerca de 1,65 metros.

O presidente Hugo Chávez, por meio de um contato telefônico, pediu que a divulgação das investigações fosse transmitida pelo rádio e pela televisão. O mandatário, no entanto, afirmou acreditar que Bolívar foi assassinado, mesmo sem ter provas.

Na semana passada, o jornal venezuelano Últimas Noticias chegou a afirmar que a morte de Bolívar teria sido causada por um desequilíbrio na quantidade de água no corpo.

O revolucionário morreu na cidade de Santa Marta, na Colômbia, em 17 de dezembro de 1830. Seus restos foram exumados em 15 de julho de 2010 por ordem do 19° Tribunal de Controle de Caracas.

A versão divulgada até então era de que ele tinha falecido em decorrência de uma tuberculose, mas acreditava-se que ele tinha sido assassinado.

O anúncio acontece no dia seguinte ao aniversário de Bolívar. Ontem, Chávez, por ocasião da data, declarou que a essência de Bolívar pode ser percebida por todos os lados.


Siga o Opera Mundi no Twitter            
Conheça nossa página no Facebook
 
 



Comentários