Para jornais búlgaros, autor de ataque terrorista já esteve preso em Guantánamo

Israel acusou grupo libanês Hezbollah de ter sido o responsável pelo atentado que deixou oito vítimas, incluindo o terrorista

Marina Mattar

0

Todos os posts do autor

Agência Efe

Funcionários retiram o ônibus que transportava israelenses e foi alvo de atentado terrorista

 

O governo da Búlgaria divulgou nesta quinta-feira (19/07) imagens e um vídeo do suposto autor do atentado contra um grupo de turistas israeleneses na cidade de Burgas. A partir dos arquivos divulgados, veículos de imprensa da Bulgária afirmaram que o autor do ataque seria Mehdi Ghezali, o que não foi confirmado oficialmente.

Segundo as informações, o terrorista é um cidadão sueco, com família na Finlândia e Argélia, que estudou em colégios islâmicos no Reino Unido e ficou detido em Guantanamo de 2002 a 2004. Mehdi Ghezali, como reportaram os meios de comunicação búlgaros, foi entregue à custódia da Suécia em 2004 e em 2009, foi preso tentando entrar ilegalmente no Afeganistão. 

Em comunicado oficial, o ministro do Interior, Tsvetan Tsvetanov, explicou que o terrorista embarcou com uma carteira de motorista falsa dos Estados Unidos e que ainda não se sabe qual sua verdadeira identidade. Segundo o ministro, o documento foi enviado ao FBI para verificação e forças de investigação especial estão buscando mostras de DNA do suicida.

“Ele aparentava como qualquer outra pessoa – uma pessoa normal de bermudas carregando uma mochila”, disse o ministro que acrescentou que o suicida era um jovem. “Ele colocou sua mochila no compartimento de bagagem do ônibus que explodiu ", explicou Tsvetanov.

 

Autoria do atentado

Apesar de nenhum grupo ter assumido a autoria do atentado, o governo israelense acusou o grupo libanês Hezbollah e denunciou o Irã por ter apoiado a iniciativa. “Nós estamos encarando uma onda global de terror... o ataque em Burgas foi perpetrado por membros do Hezbollah e patrocinado pelo Irã”, afirmou Ehud Barack, ministro da Defesa de Israel, nesta quinta-feira (19/07).

Nunca foi comprovado, no entanto, que o Hezbollah tenha perpetrado atentado terrorista fora do território libanês, como indica pesquisa desenvolvida pelo estudioso norte-americano Robert Pape. 

O posicionamento de Barack apenas reforçou as declarações de quarta-feira (18/07) do primeiro ministro israelense. Segundo Benjamin Netanyahu, o atentado de ontem na Bulgária está relacionado ao bombardeio contra organização judaica na Argentina, que completou nesta quarta 18 anos. Para ele, ambos foram realizados com o apoio do governo iraniano. “Israel vai reagir com força ao terror iraniano”, alertou o primeiro-ministro.

O governo iraniano, no entanto, negou as acusações de Israel. "A posição do Irã é de condenar todos os atos terroristas no mundo", disse o ministro de Relações Exteriores, Ramin Mehmanparast, na rede estatal Al-Alam, segundo o canal saudita al Arabyia. 

Histórico

Uma bomba explodiu em um ônibus com 40 turistas de Israel nesta quarta-feira (18/07) na cidade de Burgas, na Bulgária. Burgas é a segunda cidade mais importante no litoral búlgaro do Mar Negro e nos últimos anos se transformou em um destino de férias muito popular entre os israelenses. No começo do ano, a imprensa local revelou que as autoridades de Israel haviam advertido as autoridades de Sófia sobre possíveis ataques a turistas no país.

O atentado deixou 34 israelenses feridos e oito vítimas fatais, incluindo o terrorista suicida e o motorista do ônibus, que era búlgaro.

Comentários

Leia Também