Uruguai e Argentina negociam envio de peles a vítimas de Santa Maria

Papa, Ban Ki-moon e vários chefes de Estado expressam suas condolências ao Brasil e às vítimas do incêndio

Redação

Todos os posts do autor

Agência Efe

O número de mortos já chega a 231 pessoas, enquanto 80 respiram por aparelhos


De acordo com o porta-voz do Ministério de Saúde Pública do Uruguai, José Luis Varela, desde a noite de domingo (27/01) técnicos do Instituto de Órgãos e Transplantes do país coordenam com autoridades brasileiras a possibilidade de envio de pele e membrana amniótica a vítimas do incêndio em Santa Maria (RS).

A ajuda foi oferecida diretamente pelo ministro de Saúde Pública uruguaio e presidente do grupo de Saúde do Mercosul, Jorge Venegas, que está em contato com seu homólogo brasileiro, Alexandre Padilha.O envio se realizará em função do estoque disponível no Uruguai.

O Ministério da Saúde da Argentina também anunciou que enviará pele para os feridos com graves queimaduras, a pedido das autoridades do Rio Grande do Sul. "Vamos pôr à disposição de nossos pares brasileiros a quantidade de pele que pudermos, segundo a existência da mesma em nosso banco de pele que funciona no Hospital Garrahan (de Buenos Aires)", explicou o secretário de Políticas, Regulação e Institutos do Ministério da Saúde argentino, Gabriel Yedlin.

“Mesmo que a pele não seja necessária no primeiro momento da intervenção médica, vamos dispor a logística para o envio o mais rápido possível e resguardando todas as normas de segurança e qualidade para que chegue ao destino em ótimas condições”, disse Carlos Soratti, titular do INCUCAI (Instituto Central único de Ablação e Implante).

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou nesta segunda-feira (28/01) o elevado número de vítimas do incêndio. Ban manifestou suas condolências às famílias e amigos das vítimas, assim como ao governo e ao povo brasileiro.

Segundo uma nota divulgada pelo escritório de imprensa da ONU no Rio de Janeiro, "o secretário-geral se entristeceu ao saber do trágico incêndio que ocorreu na cidade de Santa Maria, no Brasil. Ele se comoveu especialmente com o grande número de jovens, entre eles estudantes universitários, que morreram por causa do incêndio".

O papa Bento XVI também se disse "consternado" e pediu "conforto e a recuperação dos feridos, e coragem e o consolo cristão para todos aqueles que sofreram esta tragédia".

 

Condolências

Além disso, governos de vários países da América e da Europa se solidarizaram com o Brasil pela morte de pelo menos 231 pessoas, uma delas de nacionalidade paraguaia, por causa do incêndio.

Agência Efe

Os enterros de vítimas do incêncio começaram nesta segunda-feira (28/01)


Em comunicado, o governo espanhol expressou seu "mais profundo pesar" ao povo brasileiro por "esta enorme tragédia e a dor imensa que provocou".

Enquanto isso, a Secretaria de Relações Exteriores do México dirigiu sua mensagem de condolências "ao governo e ao povo do Brasil e, especialmente, aos familiares das vítimas do infeliz incêndio".

O presidente salvadorenho, Mauricio Funes, manifestou em comunicado sua mensagem de solidariedade e condolências. "Em nome meu, da minha esposa Vanda, do governo e povo de El Salvador, faço chegar nossas mais sentidas condolências pela tragédia que enluta a cidade de Santa Maria e todo o Brasil".

Por sua vez, o governo panamenho assinalou que "lamenta profundamente este difícil momento que enche de consternação, luto e dor todo o povo brasileiro".

O Ministério das Relações Exteriores da Colômbia também enviou em comunicado suas "condolências ao povo do Brasil pelas perdas humanas" e "expressa seus sinceros votos pela pronta recuperação das pessoas que ficaram feridas neste lamentável fato".

No Brasil, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou sua consternação pela perda de vidas humanas e assegurou que todo o país "está triste e de luto pelas mortes ocorridas no incêndio em Santa Maria". "Neste momento difícil, expressamos nossa solidariedade aos amigos e familiares das vítimas e a toda a população da cidade, mas especialmente aos pais e mães por essas perdas irreparáveis", disse Lula em comunicado.

A presidente Dilma Rousseff voltou do Chile no domingo, onde participava da I Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia (UE)."Quem precisa de mim neste momento é o povo brasileiro. Pedi a todos os ministros para ajudar em tudo o que possa e para ir lá, e eu também estarei lá", assegurou Dilma em declarações à imprensa no Chile.

O governo da Alemanha também manifestou suas condolências pela tragédia e informou que a chanceler Angela Merkel, em visita oficial a Santiago para participar da cúpula, deu pessoalmente seus pêsames a Dilma, enquanto o ministro das Relações Exteriores alemão, Guido Westerwelle, assegurou em comunicado se sentir "profundamente consternado". "Nossos pensamentos estão nestes tristes momentos com as várias vítimas e suas famílias, seus conhecidos e amigos", acrescentou o chefe da diplomacia alemã.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, encerrou a cúpula com uma mensagem de solidariedade com o povo brasileiro. Piñera reivindicou aos cerca de 40 chefes de Estado e governo presentes "reflexão e solidariedade com o povo brasileiro pela tragédia" e em seguida pediu que se pusessem de pé e guardaram silêncio em sinal de respeito às vítimas.

Também no encerramento, o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, transmitiu suas condolências às vítimas e sua "profunda tristeza" à presidente Dilma.

Pouco antes, o chanceler chileno, Alfredo Moreno, havia expressado nos mesmos termos aos jornalistas, também na cúpula. "Isto não somente deixa todo nosso país-irmão Brasil em luto, mas todos os nossos países", apontou Moreno, que lamentou que "tanta gente jovem tenha sido afetada por uma tragédia tão imensa". É uma tragédia que "cobre de luto" toda a América Latina, manifestou, ao oferecer suas condolências ao povo e ao governo brasileiro.

Santa Maria, uma cidade de 261 mil habitantes no interior do Rio Grande do Sul, conta com um elevado número de estudantes, mais de 10% da população, por concentrar oito universidades. Quase todos os mortos e feridos na tragédia eram estudantes universitários e tinham entre 18 e 30 anos.  O incêndio na boate Kiss começou por volta das 2h30 quando um integrante da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na discoteca, acendeu um material pirotécnico e uma faísca atingiu o isolamento do teto.

* Com informações da EFE e El País do Uruguai

Comentários