Em carta a Chávez, Fidel Castro escreve que discrição sobre tratamento foi necessária

Ex-presidente cubano também elogiou resistência física do venezuelano em dias de "sofrimento e sacrifício"

Redação

Todos os posts do autor

O ex-presidente cubano Fidel Castro escreveu, na noite deste domingo (17/02) uma carta a seu colega Hugo Chávez, por ocasião de seu retorno à Venezuela. O presidente venezuelano anunciou nesta segunda-feira (18/02) que desembarcou em Caracas, após mais de dois meses de sua partida a Havana, onde passou por uma cirurgia para combater um câncer.

Leia a carta de Fidel Castro a Hugo Chávez:

Querido Hugo,

muito me satisfaz que você tenha podido voltar ao pedaço da terra americana que tanto ama, e ao povo irmão que tanto te apóia.

Foi necessária uma longa e angustiante espera, tua assombrosa resistência física e a consagração total dos médicos como o fizeram durante 10 anos, para obter esse objetivo.

É completamente justo mencionar a insuperável constância com que seus familiares mais próximos, teus companheiros na direção revolucionária, as Forças Armadas Bolivarianas, rearmadas e reequipadas por você, e as pessoas honestas do mundo, mostraram suas simpatias.

Especial menção merece o apoio que o povo venezuelano te deu com suas mostras diárias de apoio entusiasta e irredutível. A isso se deve um regresso feliz à Venezuela.

Você aprendeu muito com a vida, Hugo, nesses duros dias de sofrimentos e sacrifícios. Agora que não teremos o privilégio de receber notícias suas todos os dias, voltaremos ao método da correspondência que durante anos utilizamos.

Viveremos sempre lutando pela justiça entre os seres humanos sem temor aos anos, os meses, os dias ou as horas, conscientes, humildemente, de que coube a nós viver na época más crítica da história de nossa humanidade. Nosso povo, que é também seu, conhecerá amanhã por esta mesma via seu regresso à Venezuela.

Tudo teve que ser levado a cabo com muita discrição, para não dar oportunidade aos grupos fascistas de planejar suas cínicas ações contra o processo revolucionário Bolivariano.

Quando o campo socialista se derrubou e a URSS se desintegrou, o imperialismo, com o punhal afiado de seu bloqueio, propunha-se a afogar em sangue a Revolução Cubana; Venezuela, um país relativamente pequeno da dividida América, foi capaz de impedi-lo.

Devido ao tempo, não menciono os numerosos países das Antilhas, Centro e América do Sul que a Venezuela, além de seus grandes planos econômicos e sociais, foi capaz de ajudar. Por isso, todas as pessoas honestas do mundo seguiram de perto “a saúde e as notícias sobre Chávez”.

¡Hasta la victoria siempre!
Um forte abraço!

Fidel Castro Ruz
20h35
17 de fevereiro de 2013

Comentários