União Europeia acusa Google de abuso em controle de motor de buscas na internet

Gigante da informática terá prazo de até dez semanas para responder às denúncias de abuso de posição dominante feitas pela Comissão Europeia

Redação

Todos os posts do autor

A Comissão Europeia, órgão executivo da UE (União Europeia), acusou formalmente nesta quarta-feira (15/04) o Google de abusar no controle de seu sistema de buscas na internet, anunciando a abertura de uma investigação antimonopólio ao Android, seu sistema operacional para smartphones.

EFE

Margrethe Vestager representou Executivo do bloco em caso de abuso de posição dominante na capital belga


A decisão foi anunciada em Bruxelas pela comissária europeia de Antitruste, Margrethe Vestager, que alegou estar preocupada pelo fato de a companhia obter vantagem injusta com serviço de compras online em relação a outros concorrentes.

Para o bloco europeu, o Google abusou de sua posição dominante nos mercados dos serviços gerais de buscas na internet no espaço econômico europeu nos últimos cinco anos, “favorecendo sistematicamente a comparação de seu próprio produto de compra nas páginas de resultados de buscas gerais".

Para o Executivo comunitário, a visão preliminar é que "tal conduta infringe as normas antimonopólio da União Europeia, porque reprime a concorrência e prejudica os consumidores".

Em resposta, Amit Singhal, vice-presidente sênior de Pesquisa da companhia, rebateu que "enquanto o Google for o motor de busca mais utilizado, as pessoas podem encontrar e acessar informações de várias maneiras diferentes. As alegações de danos, para os consumidores e concorrentes, têm-se revelado estar longe da verdade”, de acordo com a corporação.

A investigação do caso começou em 2010, quando líderes europeus se questionaram sobre a possibilidade de abuso de posição dominante por parte do Google.

A partir de agora, a gigante da informática terá dez semanas para responder à Comissão Europeia a respeito das alegações para convencer à diretoria do órgão de que não houve uma tentativa de comportamento anti-concorrrência.

Comentários