Aula Pública Opera Mundi: como deve ser governo de Evo com a onda conservadora na América Latina?

No oitavo episódio da quarta temporada da Aula Pública, Everaldo Andrade analisa os desafios do projeto de desenvolvimento boliviano

Redação

Todos os posts do autor

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Everaldo Andrade discute o futuro do governo boliviano


No oitavo episódio da quarta temporada da Aula Pública, Everaldo Andrade, doutor em História Econômica e professor da USP, discute os desafios do projeto de desenvolvimento boliviano diante da nova conjuntura sul-americana.

Autor do livro 'Bolívia: Democracia e Revolução' (Alameda, 340 pgs., R$48), Everaldo acredita que o governo Evo Morales construiu uma identidade política com a maioria da população do país. Nessa perspectiva, é fundamental entender as condições que garantiram o crescimento econômico e social nos últimos 10 anos e que agora estão sob ameaça pela chamada 'onda conservadora' na América Latina.

"A ascensão de Evo Morales é a expressão de uma luta popular que conseguiu mudar os rumos da Bolívia. Desde 2006, o que se busca é encontrar um eixo de desenvolvimento que benefecia a nação e o povo boliviano. Além disso, Evo conseguiu construir uma identidade política e étnica com a maioria da população. Agora essa dinâmica política construída na última década pode ser modificada pela chamada onda conservadora. Mas precisamos debater exatamente o que é esse movimento que questiona as políticas de inclusão social na América Latina", analisa Everaldo.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Everaldo Andrade: como deve ser o governo Evo Morales com a onda conservadora na América Latina?



Na segunda parte da Aula Pública, Everaldo Andrade responde perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo

Comentários