Morre o cineasta italiano Bernardo Bertolucci

Cineasta foi recentemente alvo de críticas por ter declarado rodar uma cena de sexo não consentido no longa "Último Tango em Paris", de 1972

Redação

ANSA ANSA

Vencedor do Oscar, o diretor de cinema italiano Bernardo Bertolucci morreu nesta segunda-feira (26/11), em Roma, aos 77 anos. O cineasta levou a estatueta de Melhor Diretor com o longa "O Último Imperador", de 1988, que trinfou em outras oito categorias naquele ano.

Poeta, documentarista e produtor, Bertolucci também assinou grandes sucessos como "Novecento", de 1976, "O Pequeno Buda", de 1993 e "Último Tango em Paris", de 1972, com o qual foi recentemente alvo de críticas por ter declarado rodar uma cena de sexo não consentido no longa.

Em vídeo, o diretor conta que a atriz Maria Schneider (Jeannie), que na época tinha 19 anos, não sabia o que aconteceria na cena em que Marlon Brando (Paul) força uma relação sexual com a garota. A cena é uma das mais polêmicas da história e intensificou a censura nas telonas. Segundo o cineasta, sua intenção era que Schneider reagisse "como uma menina, e não como atriz". O italiano ainda afirmou que não a viu mais depois das gravações do filme, porque ela "o odiava".

Originário de Parma, o cineasta estava doente há muitos anos. Ele foi assistente de Pier Paolo Pasolini e estreou sua carreira em 1962, com "A Morte". Filho do poeta Attilio e de Ninetta Giovanardi, cresceu com ares do cinema dentro de casa, o que ajudou Bertolucci e seu irmão Giuseppe a trilharem caminho nessa área. Mas quem deu o ponta-pé inicial foi o amigo de família Pasolini, que convidou Bertolucci a ser assistente de produção.

Com o incentivo do pai na poesia, Bertolucci cursou a Faculdade de Literatura Moderna da Universidade La Sapienza, de Roma, antes de abandonar as letras e se dedicar ao cinema. O seu primeiro filme de sucesso foi "O conformista", de 1970, inspirado no romance homônimo de Alberto Moravia, que rendeu a sua primeira indicação ao Oscar.

Então, o italiano abraçou o universo da sétima arte e trilhou uma carreira em que dirigiu mais de 30 filmes. Em 2007, ele venceu o "Leão de Ouro" pela carreira na 64ª Mostra de Veneza, e em 2011 foi honrado com a "Palma de Ouro", no Festival de Cannes, pelo conjunto da obra.

O último filme que produziu foi "Eu e Você", em 2012, em que o introvertido Lorenzo tenta se esconder no porão para fugir dos problemas do mundo.

Flickr
O cineasta levou a estatueta de Melhor Diretor com o longa "O Último Imperador", de 1988

Comentários