Justiça chilena aceita investigar morte de Pablo Neruda

Justiça chilena aceita investigar morte de Pablo Neruda

Agência Efe

A Justiça chilena aceitou nesta quinta-feira (02/06) o pedido apresentado há dois dias pelo Partido Comunista do Chile para que seja investigada a causa da morte do poeta Pablo Neruda.

Segundo uma denúncia da legenda, Neruda, que oficialmente morreu de câncer em 23 de setembro de 1973, 12 dias após o golpe de Estado que levou Alberto Pinochet ao poder, pode ter sido assassinado.

Leia mais:
Skármeta ganha prêmio internacional por livro sobre ditadura Pinochet
Mario Vargas Llosa e a metáfora do fotógrafo cego
Chile à direita: alerta no continente
Allende pode ter levado dois disparos diferentes, diz reportagem de TV
Hoje na história: Morre o poeta chileno Pablo Neruda

O juiz encarregado do caso, Mario Carroza, que também lidera a investigação para esclarecer a morte do presidente Salvador Allende, determinou que fossem realizadas todas as diligências solicitadas pelo partido, entre outras a de que o motorista do poeta, Manuel Araya Osorio, seja convocado a depor.

O relato oficial, aceito pela família de Neruda, indica que o escritor faleceu na clínica Santa María, em Santiago, devido a um câncer de próstata em estágio avançado.

No entanto, o motorista e assistente pessoal de Neruda declarou recentemente em entrevista à revista mexicana Proceso que o poeta morreu assassinado com uma injeção aplicada por um médico, e não devido a um avanço do câncer.

Siga o Opera Mundi no Twitter 
Conheça nossa página no Facebook 

Comentários

Leia Também