Depoimento reforça acusação de caixa-dois contra Nicolas Sarkozy

Depoimento reforça acusação de caixa-dois contra Nicolas Sarkozy

Ansa

A situação legal do presidente da França, Nicolas Sarkozy, pode estar ficando mais complicada. Em depoimento à Justiça nesta quarta-feira (14/09), uma ex-contadora da empresária Liliane Bettencourt, herdeira do grupo L’Oreal, confirmou que a milionária fez doações não declaradas à campanha presidencial de Sarkozy em 2007.

Claire Thibout, de 53 anos, confirmou ao juiz declarações que já havia feito à imprensa. Seu advogado, Antoine Gillot, reforçou o vínculo entre Liliane e Sarkozy, reafirmando seu "envolvimento neste caso desde o início”.

O advogado acusou o presidente francês de se reunir duas vezes com Liliane Bettancourt no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, desde que as investigações começaram. Sarkozy teria sido informado “quase em tempo real” sobre as decisões dos juízes.

Leia mais:
Sarkozy recebeu dinheiro de herdeira da L'Oreal, diz juíza
Sarkozy quebra silêncio e fala em "campanha de calúnias" 
Polícia solta 3 dos 4 colaboradores de dona da L Oréal na França 
Relatório conclui que ministro francês não privilegiou herdeira da L Oréal 
Justiça francesa investiga denúncias de financiamento ilegal da campanha de Sarkozy

A contadora contou que na mansão da família Bettencourt circularam envelopes com dinheiro para serem distribuídos a várias pessoas, incluindo políticos. Um desses envelopes, com 150 mil euros, teria sido entregue por Patrice de Maistre, então administrador do patrimônio de Bettencourt, a Eric Woerth, ex-ministro e tesoureiro da UMP, partido de Sarkozy, para financiar sua campanha.

O caso veio a público em um livro escrito por dois repórteres do jornal Le Monde, que, citando declarações de juízes sobre a investigação, relataram como o presidente da França teria recebido caixa-dois na campanha em que derrotou a socialista Segoléne Royal.

Siga o Opera Mundi no Twitter            
Conheça nossa página no Facebook 

Comentários

Leia Também