Chávez recebe presidente do Irã em meio a pressão dos EUA

Washington emitiu um alerta contra a visita de Ahmadinejad a Caracas

Marina Terra

Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, se reúnem nesta segunda-feira (09/01) em Caracas. Esta é a primeira parte de um giro pela América Latina do presidente iraniano, que também visitará a Nicarágua, o Equador e Cuba. Ontem (08/01), Chávez criticou um alerta dos Estados Unidos para que a Venezuela evitasse manter relações próximas com o Irã, denunciando o que, segundo ele, era uma tentativa de Washington de dominar o mundo.

"Amanhã [hoje] vamos trabalhar o dia todo, verificando acordos de cooperação. Nós não somos ameaça para ninguém. Somente temos direitos e somos soberanos", disse Chávez, no programa semanal que conduz na televisão e no rádio, o Alô, Presidente. O presidente venezuelano não comentou a recente expulsão da consulesa-geral venezuelana em Miami, Livia Acosta Noguera.

No programa, o presidente venezuelano condenou Washington e disse que a parceria dos venezuelanos com os iranianos gerou a aceleração do processo de construção de casas populares e o incentivo à indústria. "Um porta-voz e uma porta-voz em Washington do Departamento de Estado ou da Casa Branca disseram que não seria conveniente para qualquer país se aproximar do Irã. Bom, a verdade é que isso faz rir", disse Chávez em discurso televisionado.

"Eles não conseguirão dominar o mundo. Esqueça isso Obama, esqueça. Seria melhor pensar sobre os problemas do seu país, que são muitos", afirmou. "Somos livres. O povo da América Latina jamais se ajoelhará novamente, dominado pelo ianque imperial. Nunca mais", completou.

Ahmadinejad visita a América Latina com quatro ministros - Ali Akbar Salehi (Relações Exteriores), Mehdi Gazanfari (Comércio, Indústria e Minas), Majid Namju (Energia), Seyed Shamsedin Hosseini (Economia) - e um grupo de empresários.

Desde 2010, o Irã é alvo de uma série de sanções econômicas, comerciais e financeiras da comunidade internacional. As medidas foram aprovadas como forma de pressionar o governo iraniano a abandonar o programa nuclear desenvolvido no país. Para a comunidade internacional, o programa mantém a produção de armas nucleares. Os iranianos negam.

Ahmadinejad visitou a Venezuela em novembro de 2009, quando foram firmados 68 projetos de cooperação bilateral nas áreas de agricultura, da indústria, do comércio e de energia. Durante a visita foi inaugurado o Fundo Único Binacional Irã-Venezuela, com o objetivo de estimular a produção e os investimentos entre as duas nações.

Em outubro de 2010, Chávez foi ao Irã, onde assinou 11 protocolos de intenção relativos à cooperação nos setores de petróleo, energia, da indústria e do comércio. Também houve discussões sobre futuros acordos nas áreas de transporte de hidrocarbonetos e produção de alimentos, além de questões agrícolas.

Comentários

Leia Também