Candidato da esquerda francesa passa líder da extrema-direita em pesquisa eleitoral

Jean Luc Mélenchon sobe cinco pontos e está em terceiro lugar; Sarkozy diminui vantagem de Hollande

João Novaes

Na primeira pesquisa de opinião sobre a eleição presidencial francesa realizada após a descoberta do autor dos atentados no sudoeste do país, a grande surpresa foi a ascensão do progressista Jean-Luc Mélenchon. Já a diferença entre o presidente Nicolas Sarkozy e seu principal rival, o socialista François Hollande voltou a diminuir, embora não o suficiente para obter a reeleição em um provável segundo turno.

Efe

O candidato da Frente de Esquerda, Jean Luc Mélenchon

O levantamento do instituto BVA divulgado nesta quinta-feira (22/03) coloca pela primeira vez o candidato da Frente de Esquerda, que participou de dois grandes comícios na última semana em Paris e Marselha, em terceiro lugar. Ele ultrapassa a ultradireitista Marine Le Pen, do Fronte Nacional, e o centrista François Bayroux, do MoDem (Movimento Democrático). Mélenchon subiu cinco pontos percentuais, alcançando 14% de preferência,contra 13% da candidata da extrema-direita, que caiu dois. Bayroux (12%) caiu um ponto.

A pesquisa, divulgada para a rede RTL, Orange e Presse Régionale, entrevistou 926 franceses por telefone via internet entre esta quarta e quinta-feira. Sua última pesquisa havia sido divulgada entre os dias 15 e 16 de março. Ou seja, depois que a população francesa já estava ciente da identidade de Mohamed Mehra, atirador que matou sete pessoas em uma base militar e uma escola judaica nas cidades de Montauban e Toulouse. O crime chocou o país e voltou a levantar questões relacionadas à imigração e integração para o centro do debate político.

Efe

O presidente Nicolas Sarkozy voltou a integrar a campanha nesta quinta-feira

O presidente Nicolas Sarkozy, que obteve bastante exposição na mídia durante o cerco ao atirador, subiu dois pontos percentuais, alcançando 28%, contra 29,5% de Hollande, do Partido Socialista (centro-esquerda).  Segundo Gaël Sliman, diretor-geral da BVA, essa diferença equivale a um empate técnico.

Já nas estimativas para o segundo turno, o líder da UMP (União por um Movimento Popular) não conseguiria sai reeleição. Hollande ainda aparece na frente com oito pontos de vantagem ( 54% a 46%), mesmo tendo diminuído a diferença para quatro pontos.

Comentários