Lugo colocou o dedo na ferida da oposição, diz partidário do presidente

Integrante da coalizão de esquerda que sustentou a eleição do presidente diz que reforma agrária foi principal motivo da crise

Rafael Duque

 Diego C.Benítez/Efe

Manifestantes protestam contra o processo de impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo

Em entrevista ao Opera Mundi, o secretário de comunicação do Partido Tekojoja, Marcos Ybáñez, afirmou que o processo de impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo é um golpe dos partidos de direita do país sul-americano, que estariam reagindo à política de reforma agrária implantada pelo político de esquerda.

“O presidente colocou o dedo na ferida da oposição”, afirma Ybáñez, cujo partido pertence à Frente Guasu, coalizão de esquerda e centro-esquerda que sustentou a eleição de Lugo. “A maioria dos deputados de direita é proprietária de grandes latifúndios e a situação da oligarquia paraguaia se tornou insustentável quando o presidente colocou em debate questões tão sensíveis como a reforma agrária”, explicou o partidário do atual presidente.

Ybáñez também afirma que esse movimento dos partidos Colorado e Liberal Radical Autêntico (responsáveis pelo processo de impeachment na Câmara de Deputados e no Senado) foi planejado para atrapalhar as eleições presidenciais de 2013. “Eles querem boicotar o desenvolvimento normal do processo eleitoral. Eles temem que a esquerda ganhe espaço no próximo ano”, declarou o secretário.

Comentários