Hoje na História: 1996 - Bomba explode em meio aos Jogos Olímpicos de Atlanta, nos EUA

O incidente gerou uma onda enorme de críticas ao evento, já que a presença de 35 mil militares e agentes do FBI não impediu um ato terrorista

Max Altman

No dia 27 de julho de 1996, uma bomba explode à 01h25 em meio à multidão que assistia a um concerto de Rock no Parque Centenário dos jogos olímpicos da cidade de Atlanta, nos Estados Unidos.

Os Jogos do Centenário das Olimpíadas deveriam ter sido realizados em Atenas, na Grécia. No entanto, acabaram sendo cedidos a Atlanta por pressão da Coca-Cola, que tem sede na cidade. Com a participação de mais de 10 mil atletas de 197 países, os Jogos revelaram-se um evento de grandes proporções, mas, ainda assim, trouxeram consigo problemas de segurança que abriram brecha para o atentado.

WikiCommons

A explosão da madrugada de 27 de julho, no Parque Centenário, deixou dois mortos e mais de 200 feridos. O incidente gerou uma onda ainda maior de críticas aos Jogos, já que a presença de 35 mil soldados e do FBI não impediram o ato terrorista.

O presidente norte-americano Bill Clinton prometeu tomar todas as medidas necessárias para proteger os atletas. Três horas após a explosão, o Comitê Olímpico Internacional reagiu através de seu vice-presidente, o príncipe Alexandre de Merode, que garantiu a continuidade dos Jogos. No dia seguinte, as competições se realizaram normalmente, após um minuto de silêncio em cada uma das instalações.

Três meses antes, o Comitê Olímpico de Atlanta havia transformado uma grande área ocupada por uma favela e velhos armazéns num local de entretenimento popular. Atraia todos os dias cerca de 100 mil pessoas que ali se reuniam para ouvir música, assistir a concertos em telões e comprar lembranças.

Uma banda chamada Jack Mack and the Heart Attack havia terminado de executar uma canção quando explode a bomba colocada junto a uma torre de som. A área foi imediatamente cercada pela polícia e isolada. O centro de imprensa localizado nas imediações foi fechado temendo novas explosões.

Testemunhas oculares descreveram uma cena de caos e carnificina. A polícia disse que havia recebido uma ligação telefônica alertando sobre a bomba e descrevendo o lugar da detonação mas era demasiado tarde para evacuar o parque. Conseguiram apenas remover a vizinhança próxima.

Em um primeiro momento, o FBI suspeitou do guarda de segurança que havia disparado o alarme, Richard Jewell, mas, depois, afastou-o de qualquer suspeita. Dois anos mais tarde, Eric Rudolph foi acusado da explosão após um casal de Tennessee tê-lo identificado como o homem para quem havia vendido pólvora sem fumaça, material empregado na fabricação do artifício de Atlanta.

Tornou-se um dos “10 mais procurados” fugitivos dos Estados Unidos, tendo sido finalmente capturado em maio de 2003 e levado a julgamento em julho de 2004. Outros três terroristas também foram acusados de participação. Em abril de 2005, Rudolph admitiu o crime como parte de um acordo com a promotoria, evitando a pena de morte, mas recebendo quatro condenações a prisão perpétua sem liberdade condicional.

A segurança dos Jogos, anunciada pelas autoridades como a maior operação de segurança em tempos de paz para um evento público na história do país, foi redobrada com a inspeção de bagagens e uma varredura de explosivos.

O presidente Bill Clinton reagiu desafiadoramente afirmando que os Jogos Olímpicos seriam levados a cabo conforme o planejamento para demonstrar que a nação não seria intimidada por atos de terrorismo.

"Um ato de terror selvagem como este está claramente dirigido contra o espírito de nossa própria democracia”, exclamou. “Não podemos deixar que esses ataques impeçam que sigamos adiante. Não podemos deixar que o terror vença. Esse não é o modo americano de comportamento”.

Clinton fez esses comentários durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca, dois dias após anunciar novas e estritas medidas de segurança nos aeroportos dos Estados Unidos em decorrência da queda do avião da TW. Em 17 de julho, 45 minutos após decolar do aeroporto John Kennedy de Nova York o avião explodiu em pleno ar matando 228 pessoas.

Também nesse dia:

1656 - Filósofo Baruch de Spinoza é excomungado

1794 - Robespierre é deposto na França revolucionária

1921 - A insulina é isolada com sucesso pelos cientistas canadenses Frederick Banting e Charles Best

1943 - Stalin decreta a Ordem nº 227, conhecida como "Nenhum passo atrás", que condenava os coverdes e traidores à imediata liquidação 

Comentários

Leia Também