Vaticano inicia "guerra midiática" contra casamento gay

Investida da Igreja Católica vem após avanços dos direitos civis em decisões nos Estados Unidos e na Europa

Redação

A alta cúpula da Igreja Católica irá intensificar sua campanha contra o casamento gay. De acordo com o jornal L’Osservatore Romano, principal publicação do Vaticano, a Santa Sé irá investir fortemente contra iniciativas de conceder o reconhecimento legal de casais do mesmo sexo.

Efe (07/11/2012)

O Papa Bento XVI, líder máximo da Igreja Católica, desfila na Praça de São Padro, no Vaticano

Em um comunicado paralelo, feito pelo porta-voz do Papa, à Rádio Vaticano, Federico Lombardi perguntou sarcasticamente por que os defensores do casamento entre homossexuais não pedem também o reconhecimento legal de casais poligâmicos. “Fica claro que, nos países ocidentais, existe uma tendência disseminada de modificar a visão histórica do casamento entre um homem e uma mulher. Ou mesmo de renunciar à ela, eliminando seu reconhecimento legal específico e privilegiado na comparação com outras formas de união”, disse.

O editorial de Lombardi na Rádio oficial da ICAR, transmitida para o mundo todo em cerca de 30 línguas, classificou as decisões como “míopes”, afirmando que “essa lógica não pode ter uma percepção de longo prazo visando o bem comum”. Ele afirmou ainda ser de “conhecimento público” que o “casamento monogâmico entre homem e mulher é uma conquista da civilização”.

Reação

A forte reação dos católicos é resultado dos avanços do movimento gay em diferentes partes do mundo, escreveu o jornal The Australian. Três Estados dos Estados Unidos aprovaram o casamento homossexual em referendos e o presidente reeleito, Barack Obama já se disse favorável ao reconhecimento da união gay. Embora tenha parabenizado Obama pela reeleição, o Papa Bento XVI disse estar "rezando para que os ideais de liberdade e justiça continuem a ser acolhidos no mundo".

Na mesma semana, a Espanha manteve a lei do casamento gay, e a França avançou com a legislação que promete legalizar o casamento entre homossexuais no início do próximo ano.

Comentários