Palestinos em Gaza temem invasão terrestre após distribuição de panfletos

Moradores de áreas fronteiriças com Israel receberam avisos em árabe para que deixem imediatamente suas casas

Marina Mattar

Reprodução
Os residentes dos bairros mais próximos da fronteira da Faixa de Gaza com Israel receberam nesta terça-feira (20/11) dezenas de panfletos (veja foto à esquerda) com aviso de autoridades israelenses para deixarem imediatamente suas casas em direção à região central da cidade de Gaza.

O alerta indica que as tropas de Israel podem estar se preparando para invadir o território palestino em meio a negociações de paz entre o Hamas e Tel Aviv.

Fotos dos folhetos, distribuídos por aviões israelenses em regiões da cidade palestina, apareceram em diversas páginas das redes sociais nesta terça (20/11) junto com mensagens de medo e incerteza. De acordo com tradução do Palestine Center, as Forças de Defesa de Israel pedem aos moradores para usarem rotas específicas e abandonarem suas casas. 

“Estamos em um confronto temporário e no final, todas as pessoas poderão voltar para suas residências”, diz o comunicado. “Obedecer às instruções das Forças de Defesa de Israel vai manter civis, como você, longe do perigo”, acrescenta. Segundo relato de jornalistas em Gaza, os panfletos trouxeram pânico aos residentes, que temem uma invasão.

Nas redes sociais, alguns palestinos afirmam que as rotas sugeridas no texto israelense não são seguras e foram bombardeadas minutos depois da distribuição do panfleto. Embora as informações não tenham sido confirmadas, é alta a possibilidade de jatos militares atacarem civis, mesmo que por engano, numa área densamente populosa como Gaza. Segundo dados das Nações Unidas, existem 7 mil pessoas para cada 1km².

Escolas no centro da cidade já foram transformadas em abrigos e algumas já estão lotadas, informou a rede Al Jazeera. Na operação “Chumbo Fundido” de 2009, os residentes da Faixa de Gaza também utilizaram esses estabelecimentos como alojamentos e muitos foram atacados pelas Forças Aéreas de Israel.

Palestine Center

Na área em vermelho, estão destacados os bairros nos quais os panfletos foram distribuídos; moradores devem seguir rumo a área central em azul

Enquanto os residentes do território palestino reclamam pela falta de opções seguras, o número de pessoas mortas pelos bombardeios israelenses apenas aumenta. Pelo menos 120 pessoas foram mortas desde quarta-feira (14/11) e mais de 920 estão feridas; a grande parte dessas vítimas é civil, incluindo crianças e idosos.

Cessar-fogo

O panfleto israelense indica que as tropas militares, posicionadas na fronteira da Faixa de Gaza com Israel desde sexta-feira (16/11), podem estar se preparando para invadir o território palestino como na operação de 2009. Enquanto isso, oficiais israelenses negociam com membros do Hamas um possível cessar-fogo com a mediação do Egito, da Turquia e de outros países da região.

O Hamas assegurou que a trégua entrará em vigor ainda nesta noite (20/11), mas Israel afirmou que ainda não existe acordo entre as partes e não afastou os rumores da invasão. O governo do país deu um prazo de dois dias a partir desta terça (20/11) para a diplomacia egípcia conseguir aprovar um acordo entre as partes.

Comentários