Após novo ataque à Síria, Irã convoca união de países islâmicos contra Israel

Ministério de Relações Exteriores iraniano classificou como “desumanos” os mísseis lançados na periferia de Damasco

Redação

O Irã condenou o ataque feito por Israel a um centro de pesquisa do governo sírio no sábado (04/05). Em comunicado oficial divulgado na manhã desta segunda-feira (06/05), o Ministério de Relações Exteriores iraniano classificou como “desumanos” os mísseis lançados na periferia de Damasco e pediu união entre os países islâmicos contra as ações militares de Israel.

"Esse ataque revela a natureza desumana dos sionistas e sua impotência diante da resistência islâmica. É  preciso unidade solidariedade entre os países islâmicos", disse o porta-voz do governo do Irã, Ramin Mehmanparast. Teerrã solicitou à ONU (Organização das Nações Unidas) que os ataques israelenses sejam condenados e que medidas para evitar novos lançamentos militares na região sejam tomadas. Além disso, Mehmanparast também afirmou que o governo está disposto a ajudar o exército sírio.

Agência Efe

Exército israelense praticou exercícios militares nesta segunda-feira (06/05); Apesar de não se pronunciar, Israel aumentou a segurança em suas fronteiras

“A Síria tem um exército poderoso e não necessita de intervenção de outros países. No entanto, se pedirem treinamento militar, podemos ajudar”, disse. O governo sírio já havia enviado neste domingo (05/05) uma carta à ONU para denunciar “a agressão de Israel” ao seu território. A Síria acredita que  objetivo israelense é “ajudar os grupos terroristas armados", em referência aos opositores que combatem o governo de Bashar al Assad em uma guerra civil que já dura dois anos.

Até o momento, o governo de Israel não confirma a autoria dos ataques.

Comentários