Agricultura sustentável melhorou qualidade da água, diz União Europeia

Concentração de partículas de nitrato tem sido substancialmente reduzida após regulamentação de 1992

Agência Efe

O nível de contaminação da água provocado pela presença de nitratos caiu consideravelmente nas últimas duas décadas, principalmente por causa de uma agricultura mais sustentável, revela um estudo publicado nesta sexta-feira (18/10) pela União Europeia.

Desde 1992, após a aplicação da chamada regulamentação de nitratos, a concentração destas partículas foi reduzida tanto nas águas superficiais como subterrâneas. No entanto, por trás dessa melhora, está a difusão de práticas de agricultura sustentável, assinalou o texto.

Apesar de a tendência geral ser positiva, a União adverte que "o problema" de excesso de sementes e algas obstruindo as águas ainda persiste em alguns países, o que também afeta o ecossistema.

"Estou satisfeito de comprovar que os esforços realizados ao longo dos anos para reduzir a poluição de água estão dando frutos", apontou o comissário europeu do Meio Ambiente, Janez Potocnik, em comunicado.

"Ainda há muitas coisas a serem feitas. Em particular, necessitamos melhorar a eficiência no uso dos adubos. Quanto mais esperarmos, mais difícil fica para o meio ambiente e para economia", advertiu.

Regulamentação

A regulamentação de nitratos de 1992 introduziu medidas para reduzir a excessiva concentração de restos de fertilizantes e dejetos animais, que aumentavam a contaminação da água, do ar e coloca a biodiversidade em risco.

Coincidindo com a publicação deste relatório, a União Europeia lançou hoje uma consulta pública a administrações, ONGs e analistas para reduzir os restos de plástico que estão concentrados nos oceanos Atlântico e Pacífico, um problema que ameaça várias espécies marinhas.

A consulta estará aberta até o dia 18 de dezembro e, alguns meses mais tarde, a Comissão Europeia apresentará uma iniciativa aos governos e a Eurocâmara para legislar sobre o assunto.

Segundo os dados das ONGs, 10 milhões de toneladas de lixo vão parar nos mares e oceanos a cada ano, principalmente plástico, vidro e metal.

Comentários