Morales nega que Bolívia pretenda ser potência mundial: "queremos dignidade"

Afirmação foi feita após presidente boliviano participar do primeiro lançamento de um satélite do país ao espaço

Prensa Latina

O presidente boliviano, Evo Morales, descartou neste domingo (22/12) que seu país pretenda ser uma potência mundial e assegurou que só procura a igualdade entre seus cidadãos. Pouco depois de regressar da China, onde presenciou o lançamento do satélite Túpac Katari, o mandatário se direcionou para aqueles que se opõem ao desenvolvimento de Bolívia.

"Nós não queremos ser potência. Só queremos que tenha igualdade e dignidade para os bolivianos", destacou o chefe de Estado, quem realçou que o processo que vive Bolívia não só se consolida no país, senão em outras partes do mundo. Morales foi recebido no aeroporto da cidade do Alto por representantes de organizações sociais, e aproveitou para agradecer àqueles que respaldaram com suas posições o processo de mudança que vive o país desde sua chegada ao Palácio Quemado em 2006.

No final de 2005, o atual líder ganhou as eleições com o 54% dos votos e repetiu em 2009 com 64%. Ao mesmo tempo, Morales referiu-se ao lançamento do satélite Túpac Katari, e considerou que é algo que ninguém nunca esperou na Bolívia, e que se conseguiu graças à luta dos bolivianos.

"Estes resultados são simplesmente nossa luta, a nossa consciência, e ao sacrifício do povo boliviano", finalizou o presidente.

Comentários

Leia Também