Em reunião do Mercosul, presidentes do bloco elogiam negociações entre Cuba e EUA

Cristina Kirchner e Nicolás Maduro foram os primeiros a celebrar anúncio desta quarta-feira

Luciana Rosa

Durante a reunião do Mercosul realizada nesta quarta-feira (17/12), na cidade de Paraná, na Argentina, os presidentes do bloco elogiaram as negociações entre Cuba e Estados Unidos para normalizar as relações bilaterais

Leia mais: Após 53 anos, EUA e Cuba anunciam conversas para 'normalizar' relações diplomáticas

A argentina Cristina Kirchner interrompeu o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff para anunciar aos colegas sul-americanos a notícia. Cristina classificou a decisão como uma demonstração da existência de um desejo de integração dos povos.

Agência Efe

Imagem da reunião de hoje entre os países do Mercosul


O venezuelano Nicolás Maduro, em seu discurso oficial na cúpula do Mercosul, falou sobre o que chamou de “grande gesto de valentia” de Barack Obama. Para Maduro, talvez essa seja a ação mais importante da gestão do presidente norte-americano. Lembrando que hoje, 17 de dezembro, é o aniversário do Papa Francisco, o presidente venezuelano arriscou dizer que a reintegração diplomática entre EUA e Cuba é um ótimo presente ao religioso. 

Leia mais: Cuba liberta norte-americano acusado de espionagem em troca dos últimos 3 dos Cinco Cubanos

Cúpula do Mercosul

Presidentes dos cinco países que integram o Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) estão reunidos em Paraná, na província argentina de Entre Rios, onde participam da 47ª Cúpula dos Chefes de Estado do bloco.

A reunião tem como tema central a livre circulação entre os cidadãos pertencentes aos países do organismo. E tem, entre as questões em pauta, as negociações de um tratado de comércio entre União Europeia e Mercosul.

Comentários