Anistia Internacional: Ataque de Boko Haram teria matado 2 mil pessoas na Nigéria

Assédio a Baga, no norte do país, pode ter sido o maior ataque já perpetrado pelo grupo extremista; mulheres, crianças e idosos são maioria entre as vítimas

Redação

O ataque do Boko Haram à cidade de Baga, no estado de Borno, no norte da Nigéria, na última quarta-feira (07/01) pode ter sido o maior já perpetrado pelo grupo extremista islâmico. Segundo a organização Anistia Internacional, o número de civis mortos pode chegar a 2 mil.

Baga, na fronteira com o Chade, teria sido dominada pelo grupo em um ataque em que pessoas foram mortas indiscriminadamente. Segundo o jornal britânico The Guardian, há ainda centenas de corpos espalhados pela cidade e redondezas. A contagem das vítimas tem se demonstrado difícil devido à magnitude do ataque.

Agência AFP

Vídeo da agência AFP que mostra o líder do grupo Boko Haram, Abubakar Shekau discursando

“Algumas pessoas fugiram da cidade, enquanto outras se trancaram em casa. Os militantes perseguiam aquelas em fuga e as matavam. Passei por corpos espalhados ao longo de mais de cinco quilômetros, até chegar à vila de Malam Karanti, que também estava deserta e queimada”, declarou o pescador Yanaye Grema, de 38 anos, que participava de um grupo de civis que se organizou para defender a cidade.

O chefe do distrito de Baga, Baba Abba Hassan, afirmou que a maioria das vítimas eram crianças, mulheres e pessoas idosas, que não conseguiram escapar ou se proteger quando os militantes invadiram a cidade atirando granadas e disparando metralhadoras a esmo.

O assédio começou no último dia 3 de janeiro, quando o grupo tomou o controle de uma base militar da Força Multinacional de Ação Conjunta (MNJTF, na sigla em inglês) na cidade. A organização foi criada por quatro países e realiza trabalhos de combate ao tráfico de armas, terrorismo e controle de fronteiras.

Para Daniel Eyre, pesquisador da Anistia Internacional, o ataque marca “uma perturbadora e sangrenta evolução da contínua matança” perpetrada pelo grupo e “reitera a necessidade urgente de que o Boko Haram cesse a matança indiscriminada de civis e de que o governo nigeriano tome medidas para proteger a população, que vive sob medo constante de tais ataques.”

O presidente Goodluck Jonathan, no poder desde maio de 2010, lançou sua campanha pela reeleição na última quinta-feira (08/01) em Lagos, capital do país; seu governo, entretanto, ainda não teria divulgado nenhuma declaração oficial sobre os recentes ataques do grupo islâmico.

Surgido em 2009, o Boko Haram teria matado mais de 10 mil pessoas somente em 2014, segundo o Council on Foreign Relations, entidade de política internacional sediada em Washington, nos Estados Unidos. Mais de 1 milhão de pessoas estão desalojadas dentro da Nigéria e centenas de milhares se refugiaram no Chade e no Camarões devido à ação do grupo.

Ataque suicida em mercado

Em Maiduguri, capital do estado de Borno que fica a cerca de 200 km de Baga, um ataque suicida com bomba em um mercado neste sábado (10/01) deixou ao menos 20 mortos e 18 feridos. De acordo com testemunhas o ataque foi perpetrado por uma menina, de não mais de 10 anos, que levava os explosivos junto ao corpo.

Este não é o primeiro atentado a bomba neste mercado de Maiduguri: no dia 01 de dezembro, a explosão de duas bombas sucessivas causaram pelo menos dez mortos.

*Com informações de The Guardian, RT e Agência Efe

Comentários

Leia Também