‘Nossa resposta ao racismo’: coalizão árabe-judaica lança lista de campanha para eleições de Israel

Para membros da união de quatro partidos, oito pontos-chave são “expressão de responsabilidade política” e um “tapa na cara da direita israelense"

Patrícia Dichtchekenian

A poucos dias das eleições do Knesset (Parlamento de Israel), a coalizão formada pelo Hadash, partido árabe-judeu de orientação socialista, a outras três legendas árabes — Balad, Ta'al e United Arab List — publicou nesta semana uma lista intitulada “nossa resposta ao racismo” para expor os princípios fundamentais que defendem.

Segundo dados deste fim de semana divulgados pelo Haaretz, o grupo permanece em terceiro lugar nas pesquisas de opinião, empatado com o partido de extrema-direita Habayit Hayehudi (“Lar Judaico”). Os dois têm projeção de 12 cadeiras no Parlamento e as eleições legislativas estão previstas para o dia 17 de março.

Reprodução

Panfleto da campanha da união de quatro partidos árabe-israelenses


Os participantes da coalizão argumentam que a lista é uma “resposta aos ataques fascistas e às políticas racistas que se expressam na legislação antidemocrática e discriminatória” do país, aludindo à proposta de lei que classifica Israel como exclusivamente um “Estado judaico”.

De acordo com a correspondente de Opera Mundi em Tel Aviv, Guila Flint, a campanha eleitoral em curso em Israel se concentra em temas como os gastos exorbitantes na residência do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e as relações com os EUA, ignorando o conflito com os palestinos, tema básico que irá definir o futuro do país.

Para a coalizão, a lista é uma “expressão de responsabilidade política” e um “tapa na cara da direita de Israel, que tenta eliminar as vozes da minoria árabe e de judeus progressistas dentro do Parlamento israelense”. Por isso, todos os membros concordam com oito princípios fundamentais, expressos na lista abaixo:

1. A coalizão vai lutar por uma paz justa na região, com base nas resoluções das Nações Unidas, exigindo: o fim da ocupação de todos os territórios conquistados em 1967; o desmantelamento de todos os assentamentos israelenses e do muro de separação racista nos Territórios Ocupados da Palestina ; a libertação de todos os presos políticos; o estabelecimento de um Estado palestino independente e soberano dentro das fronteiras de 4 de junho de 1967 com sua capital em Jerusalém Oriental; e busca por uma solução justa para o problema dos refugiados palestinos, que assegura o direito de retorno, em conformidade com a Resolução 194 da Assembleia Geral das Nações Unidas;

EFE

Para oposição, Netanyahu convocou eleições antecipadas para tentar formar governo à direita, sem coligação com centro-esquerda


2. A coalizão vai lutar pela igualdade nacional e cívica completa para o público árabe-palestino em Israel na qualidade de minoria nativa com direitos coletivos e individuais. A lista vai exigir o reconhecimento do público árabe como uma minoria nacional com o direito de auto-administração nas áreas de cultura, educação e religião, como parte do povo árabe-palestino e da nação árabe. A coalizão também vai agir para assegurar a plena igualdade em todas as esferas da vida e vai lutar contra o regime de discriminação racista e opressão nacional, a fim de alcançar a igualdade de oportunidades, a igualdade material e a justiça corretiva e distributiva. A coalizão vai lutar contra o confisco de terras e a demolição de casas para o reconhecimento de todas as aldeias não reconhecidas, com o objetivo de fornecer terras para casas, zonas industriais e locais de emprego. A coalizão vai lutar pelo reconhecimento dos direitos das pessoas deslocadas, incluindo o direito de regresso às suas aldeias e terras; vai lutar para anular o serviço militar obrigatório para a comunidade árabe-drusa, e contra todos os programas de recrutamento militar e serviço nacional para os jovens árabes; agirá de modo a transmitir os valores do pluralismo e da tolerância e irá lidar com as aflições de violência, crime, e a anarquia atualmente galopante na posse de armas;

3. A coalizão vai lutar contra todas as manifestações de racismo e fascismo para os direitos democráticos de todos os cidadãos. Vai lutar para anular os Regulamentos de Defesa (de emergência) e toda a legislação que viola os direitos e restringe liberdades, para a escrita e implementação de uma constituição democrática para Israel, com base nos valores da igualdade, da justiça e dos direitos humanos, bem como direitos sociais básicos e liberdades democráticas;

4. A coalizão vai lutar pelos direitos dos trabalhadores e da justiça social e ambiental, lutando também pelos interesses das classes mais frágeis na nossa sociedade, contra as políticas governamentais que fazem os pobres ainda mais pobres e os ricos, mais ricos. Vamos lutar contra a pobreza e o desemprego em geral, mas sobretudo na sociedade árabe, para o aumento do salário mínimo de pelo menos 60% do salário médio no mercado, para a garantia dos direitos básicos de saúde, educação, bem-estar e de residência para todos os cidadãos;

5. A coalizão vai lutar por direitos iguais para as mulheres em todas as áreas da vida e contra todas as formas de opressão, exploração, discriminação e violência contra as mulheres na família, no trabalho e em toda a sociedade, em especial, o assassinato de mulheres. Vamos lutar para garantir os direitos das mulheres à educação e ao emprego, bem como o envolvimento político, social e cultural;

6. A coalizão vai lutar pelo apoio público e pelo empoderamento da cultura e da arte, sem discriminação ou exclusão. Vamos lutar para preservar o status do árabe como língua oficial e por esse status ser expresso em todas as áreas da vida. Também lutaremos pelo direito de desenvolver a cultura árabe livre e independente, para aprimorar o sentimento de pertencimento e identidade nacional e para transmitir uma cultura de diálogo democrático;

EFE

Gaza em escombros após operação militar israelense intitulada "Margem Protetora"


7. A coalizão rejeita a intervenção imperialista nos assuntos dos países da região e do mundo; a política de "dividir para reinar"; além do sectarismo étnico e religioso. Apoiamos os direitos dos povos à independência, liberdade, justiça e democracia;

8. A coalizão vai lutar pelo desarmamento nuclear do Oriente Médio, incluindo Israel, assim como a proibição de todas as armas de destruição em massa, como parte de um esforço para criar um mundo livre de armas nucleares;

• Contra a Ocupação e pela uma paz justa na região!
• Igualdade cívica e nacional para a minoria árabe-palestina!
• Contra o racismo e o fascismo, por direitos democráticos a todos!
• Direitos aos trabalhadores e justiça social e ambiental para aodos!
• Direitos iguais para as mulheres em todas as áreas da vida!
• Empoderamento de cultura, língua, pertencimento e de identidade!
• Contra o imperialismo e o sectarismo, pelos direitos das nações!
• Pelo desarmamento do Oriente Médio e das armas de destruição em massa!

Comentários

Leia Também