Chefes da diplomacia de Cuba e EUA têm reunião histórica no Panamá

Encontro entre secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, é de mais alto nível em 50 anos

Redação

Atualizada às 12h23

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, tiveram na noite de quinta-feira (09/04) o encontro de mais alto nível entre figuras políticas das respectivas nações em mais de 50 anos.

Paralelamente, a imprensa noticia, nesta sexta (10/04), que os presidentes de Cuba, Raúl Castro, e dos EUA, Barack Obama, conversaram por telefone na quarta-feira (08/04), como confirmou um funcionário da Casa Branca. A ligação foi a segunda conversa entre líderes de ambos os países em mais de meio século e se dá em meio às expectativas em torno do encontro dos mandatários na Cúpula das Américas, que se inicia hoje no Panamá.

Leia mais: Reunindo pela 1ª vez continente todo, Cúpula das Américas terá temas incômodos aos EUA

EFE

Encontro entre Kerry e Rodríguez aconteceu em hotel na capital panamenha, antecipou porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf


A reunião entre os dois chefes da diplomacia aconteceu em um hotel na Cidade do Panamá. Segundo o governo dos EUA, tudo transcorreu bem. 

"O secretário Kerry e o chanceler cubano Rodríguez mantiveram uma longa conversa, muito construtiva. Os dois concordaram que obtiveram progressos e que iremos continuar a trabalhar para resolver as questões pendentes", explicou um alto funcionário do Departamento de Estado à Reuters.

Por enquanto, as autoridades de Cuba ainda não divulgaram nenhuma informação sobre o assunto. O jornal oficial do Partido Comunista Cubano, Granma, comentou o encontro entre as duas lideranças em tom positivo, mas destacou que "ainda persistem obstáculos com a injustificada  de Cuba na lista de países patrocinadores de terrorismo internacional e a ausência de serviços bancários para a missão diplomática em Washington".

Trata-se da primeira reunião bilateral de mais alto nível desde o histórico anúncio do restabelecimento das relações entre os EUA e Cuba, realizado em 17 de dezembro de 2014, pelos presidentes Barack Obama e Raúl Castro. Na ocasião, os líderes conversaram por telefone.

Tanto Obama quanto Castro já estão no Panamá para participar da VII Cúpula das Américas, que terá início hoje. A assessoria da Casa Branca afirmou que não há, por enquanto, uma reunião bilateral programada, mas garantiu que os dois líderes terão "algum tipo de interação" durante a cúpula.

Horas atrás, Obama declarou que já recebeu de Kerry a recomendação de retirar Cuba da lista de países patrocinadores do terrorismo. Ontem, a CNN reportou que o Departamento de Estado norte-americano enviou uma recomendação à Casa Branca para que Havana seja removida da “lista negra”, abrindo caminho para que Washington anuncie a retirada.

Esta é uma demanda fundamental para as autoridades cubanas, que reforçam que a sua saída da lista – da qual o país ingressou em 1982, quando apoiava grupos de oposição marxistas – é pré-requisito para o restabelecimento de relações diplomáticas entre as nações.

Em entrevista à Agência Efe antes de viajar à Jamaica e ao Panamá, Obama destacou que as "mudanças históricas" na política em relação a Cuba já estão dando resultados.

Comentários