Ataque a dois hotéis frequentados por estrangeiros deixa dezenas de mortos na Tunísia

Segundo o ministério do Interior, ao menos 37 morreram; nenhum grupo extremista reivindicou autoria de massacre por enquanto

Redação

Atualizada às 15h03

Ao menos 37 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um ataque na Tunísia realizado contra os hoteis Imperial Marhaba e Muradi Palm Marinay, frequentado por estrangeiros, informou o ministério do Interior do país, segundo Le Monde. Segundo o ministério de Saúde do país, entre as vítimas estão britânicos, alemães, belgas e uma irlandesa.

Acredita-se que o massacre tenha acontecido por apenas dois homens que abriram fogo ao entrar pela praia. Um dos agressores foi morto em troca de tiros com a polícia, ao passo que o segundo autor do crime foi d etido a um quilômetro do local dos ataques.

O hotel fica na região turística de Port Kantawi, em Sousse, às margens do mar Mediterrâneo. As autoridades não sabem se há relação com o ataque desta manhã no leste da França, em que um homem foi encontrado decapitado em uma usina de gás.


Segundo o porta-voz do governo, Mohamed Ali Aroui, trata-se de um “ataque terrorista” que visava especificamente o hotel. Por enquanto, nenhuma organização extremista reivindicou o massacre.

Em março de 2015, o Estado Islâmico reivindicou um ataque contra o Museu do Bardo, no centro da capital da nação, Túnis, matando 23 pessoas, das quais, 21 turistas estrangeiros. O ato foi descrito pelos jihadistas como "uma abençoada invasão a um dos antros de infiéis”. 

Comentários