'Estamos com Lula': em declaração conjunta, líderes internacionais expressam apoio a ex-presidente

José Mujica e Cristina Kirchner estão entre signatários de manifesto que expressa preocupação com 'tentativa de destruir a imagem' de Lula

Redação

Líderes políticos internacionais, incluindo atuais e ex-chefes de Estado da América Latina e da Europa, manifestaram apoio nesta sexta-feira (11/03) ao ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva. Os ex-presidentes José Mujica (Uruguai) e Cristina Kirchner (Argentina) estão entre os 14 nomes que já assinaram a declaração de apoio a Lula.

“Lula não se considera nem está acima das leis, mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques à sua integridade pessoal”, afirma o documento. “Preocupa à opinião democrática a tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro”, segue o manifesto, pontuando que o governo Lula “aprofundou a democracia, estimulando a diversidade política e cultural do país”.

Ricardo Stuckert/Instituto Lula

José Mujica e Lula se encontram em Montevidéu em fevereiro de 2014; ex-presidente uruguaio é um dos signatários do manifesto

No decorrer da última semana, líderes latino-americanos se manifestaram em apoio ao ex-presidente após ele ter sido conduzido de forma coercitiva (obrigatória) para depor na Polícia Federal na última sexta-feira (04/03) durante a 24ª fase da Operação Lava Jato.

Nomes como Evo Morales (presidente da Bolívia), Rafael Correa (presidente do Equador) e Ernesto Samper (secretário-geral da Unasul e ex-presidente colombiano) declararam apoio a Lula, cuja prisão preventiva foi pedida nesta quinta-feira (10/03) pelo Ministério Público de São Paulo.

Leia abaixo a declaração na íntegra com os nomes dos 14 signatários:

Durante várias décadas, Luiz Inácio Lula da Silva destacou-se como sindicalista, lutador social, criador e dirigente do Partido dos Trabalhadores.

Eleito Presidente da República, em 2002, Lula levou adiante um ambicioso programa de mudança social no Brasil, que tirou da pobreza e da miséria milhões de homens e mulheres. Sua política econômica permitiu a criação de milhões de empregos e uma extraordinária elevação da renda dos trabalhadores.

Seu Governo aprofundou a democracia, estimulando a diversidade política e cultural do país, a transparência do Estado e da vida pública. O Executivo, o Ministério Público e o Poder Judiciário puderam realizar investigações de atos de corrupção eventualmente ocorridos na administração direta ou indireta do Estado.

Preocupa à opinião democrática, no entanto, a tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro.

Lula não se considera nem está acima das leis. Mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques a sua integridade pessoal.

Estamos com ele e seguros de que a verdade prevalecerá.

Cristina Kirchner (Argentina)
Eduardo Duhalde (Argentina)
Carlos Mesa (Bolívia)
Ricardo Lagos (Chile)
Ernesto Samper (Colômbia)
Maurício Funes (El Salvador)
Felipe González (Espanha)
Manuel Zelaya (Honduras)
Massímo D”Alema (Itália)
MartinTorrijos (Panamá)
Nicanor Duarte (Paraguai)
Fernando Lugo (Paraguai)
Leonel  Fernandes (República Dominicana)
José Mujica (Uruguai)
Juan Manuel Insulza (OEA)

Comentários

Leia Também