Alba diz que impeachment é 'golpe brando' para 'alinhar' região com Estados Unidos

Em nota, entidade diz que há semelhanças entre o processo de impeachment de Dilma e a destituição de Fernando Lugo no Paraguai em 2012

Redação

A Alba (Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América) afirmou, nesta segunda-feira (18/04), que o impeachment contra a presidente Dilma Rousseff é um “golpe brando” para "alinhar" os países latino-americanos e caribenhos com a estratégia dos Estados Unidos.

Em nota, a entidade expressa solidariedade ao povo brasileiro e diz que há semelhanças entre o processo ao qual Dilma está sendo submetida e a destituição de Fernando Lugo da Presidência do Paraguai em 2012.

Agência Efe

Segundo a Alba, possível destituição de Dilma Rousseff não respeita a opinião da população que elegeu a mandatária em 2014

Segundo a Alba, trata-se de um “‘golpe brando' para alinhar os países da América Latina e do Caribe com a estratégia dos Estados Unidos". O objetivo, informa o texto, seria “acabar” com os mecanismos de integração como a Unasul (União de Nações Sul-Americanas) e a Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos) que, de acordo com os movimentos, são considerados “obstáculos para o projeto hegemônico imperial norte-americano”.

O texto diz que a possível destituição de Dilma não respeita a opinião da população que elegeu a mandatária em 2014. “Desse modo, a Constituição e a decisão de milhões é substituída pela de um grupo de legisladores que representam o poder econômico concentrado e que, em sua maioria, estão sob suspeita de corrupção”.

A entidade também se compromete em empenhar os "máximos esforços" junto a organizações sociais "para resistir à ofensiva direitista e construir um projeto popular”.

Comentários