Governo do Uruguai manifesta 'preocupação' com processo de impeachment contra Dilma

Dilma foi eleita 'legítima e democraticamente', diz nota oficial; coalizão governista declarou 'total rejeição' a processo contra presidente brasileira

Redação


Clique para acessar todas as matérias e artigos de Opera Mundi e Samuel sobre o processo de impeachment

O governo do presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, publicou nesta quarta-feira (20/04) um comunicado oficial no qual manifestou “preocupação com os acontecimentos políticos” do Brasil.

“O governo do Uruguai acompanha com preocupação com os acontecimentos políticos que vêm transcorrendo na República Federativa do Brasil, os quais afetaram a estabilidade política em nosso país irmão, uma vez que podem determinar uma eventual suspensão do exercício da Presidência da presidente Dilma Rousseff”, diz a nota.

Wikicommons

Em nota, governo uruguaio "expressa sua confiança nos processos políticios e jurídicos no Brasil"

Montevidéu, que falou em “tradicional apego do nosso país ao princípio de não intervenção nos assuntos internos de outros Estado”, pontuou que Dilma foi eleita “legítima e democraticamente” por meio do voto.

Na última segunda-feira, a coalizão de esquerda Frente Ampla, que governa o Uruguai desde 1994, declarou “total rejeição” à votação na Câmara que aprovou o prosseguimento do processo de impeachment ao Senado. A Frente Ampla classificou o impedimento de Dilma como “golpe de Estado”.
 

Segundo a coalizão, “o instrumento de impeachment sem fundamento jurídico que o sustente é, de fato, um golpe parlamentar".

Leia a íntegra do comunicado do governo uruguaio:

Situação política no Brasil

Comunicado do governo nacional

Sem desconhecer o tradicional apego do nosso país ao princípio de não intervenção nos assuntos internos de outros Estados, o governo do Uruguai acompanha com preocupação com os acontecimentos políticos que vêm transcorrendo na República Federativa do Brasil, os quais afetaram a estabilidade política em nosso país irmão, uma vez que podem determinar uma eventual suspensão do exercício da Presidência da presidente Dilma Rousseff, legítima e democraticamente eleita pelo povo brasileiro por meio do exercício do voto.

Sobre isso, o Uruguai expressa sua confiança que os processos políticos e jurídicos no Brasil, que ainda não terminaram, se desenvolvam nos moldes da Constituição e dos valores democráticos que a inspiraram e com a correta utilização dessas ferramentas.
 

Comentários