Brasileiros protestam contra golpe em frente à sede da ONU em Nova York

Nesta manhã, Dilma Rousseff participou de uma conferência sobre mudanças climáticas; segundo organizadores do protesto, 'impeachment ilegal é similar a um golpe'

Redação


Clique para acessar todas as matérias e artigos de Opera Mundi e Samuel sobre o processo de impeachment


Brasileiros realizaram, nesta sexta-feira (22/04), um protesto no entorno da sede das Nações Unidas, em Nova York, onde a presidente Dilma Rousseff participava de uma cerimônia, para protestar contra o golpe de Estado em andamento no Brasil.

Na página do evento no Facebook, criada pelo movimento “Defenda a Democracia no Brasil”, os manifestantes dizem que o objetivo do protesto é, além de prestar solidariedade a Dilma, e “mostrar para o mundo como o processo tem sido manipulado para destitui-la”.

Leia também: Em Washington, manifestante pergunta se senador Aloysio Nunes foi aos EUA 'buscar apoio para golpe'

“Esse impeachment ilegal é similar a um golpe. Não deixamos isso ir adiante”, dizem.

 

Mídia Ninja

Segundo manifestantes, objetivo do protesto é mostrar "manipulação" do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff


 

Acordo do clima

Nesta manhã, a presidente Dilma Rousseff afirmou, durante cerimônia na ONU para assinatura do Acordo de Paris sobre Mudança do Clima, que a sociedade brasileira "saberá impedir qualquer tipo de retrocesso", ao citar "o grave momento em que vivemos no Brasil".

"Não posso terminar minhas palavras sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. A despeito disso, digo que o Brasil é um grande país, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia. Nosso povo é um povo trabalhador e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir qualquer retrocesso", afirmou a presidente.

O Acordo de Paris envolve metas para reduzir a emissão de gases do efeito estufa por parte dos países signatários. Dilma disse que o Brasil cumprirá com suas metas, que são a redução de 37% da emissão de gases de efeito estufa até 2025 e 43% até 2030, tomando o ano de 2005 como base.
 

Comentários