'Democracia brasileira sofrerá duro revés com posse de inelegível e corrupto neoliberal', diz Glenn Greenwald

Segundo jornalista, plutocratas ignoraram democracia; diz ser 'triste e assustador' constatar como 'jovem democracia' pode ser 'facilmente revertida'

Redação


Clique para acessar todas as matérias e artigos de Opera Mundi e Samuel sobre o processo de impeachment


Glenn Greenwald, jornalista norte-americano criador do site de jornalismo investigativo The Intercept, voltou a criticar o processo de impeachment contra a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e a possível posse de seu vice-presidente, Michel Temer, em artigo intitulado “A democracia brasileira sofrerá um duro revés com a posse de um inelegível e corrupto neoliberal”.

No texto, Greenwald argumenta que o impeachment é a forma que a elite brasileira encontrou de chegar ao poder, visto que não conseguiu fazê-lo nas últimas eleições presidenciais, que elegeram quatro mandatos consecutivos do PT.

Agência Efe

Glenn Greenwald critica processo de impeachment no Brasil

“Então, se você é um plutocrata dono dos maiores e mais influentes meios de comunicação, o que você faz? Você ignora a democracia por completo — afinal, ela segue empoderando candidatos e políticas que o desagradam — explorando seus meios para incitar distúrbios e depois implantar um candidato que jamais seria eleito por conta própria, mas que seguirá fielmente sua agenda política e ideologia”, escreveu o jornalista.

Ele acredita também que o Senado votará pela admissibilidade do processo de impeachment nesta quarta, resultando no afastamento de 180 dias de Dilma. Greenwald ressalta que Michel Temer, atual vice-presidente e, possivelmente, futuro mandatário do Brasil, está “submerso em corrupção” e é “profundamente impopular”, “mas servirá fielmente aos interesses dos ricos do Brasil”.

O norte-americano afirma, contudo, que seu artigo não pretende defender o PT. Segundo ele, Dilma “falhou como presidente” e seu partido também se alinhou e serviu às elites brasileiras muitas vezes.

“Mas a solução para isso é vencê-los [candidatos petistas] nas urnas, não simplesmente removê-los e colocar em seu lugar alguém mais conveniente aos interesses dos ricos. Apesar dos danos que o PT está causando ao país, os plutocratas e seus jornalistas-propagandistas e a corja de bandidos em Brasília que arquitetam essa farsa são muito mais nocivos. Eles estão literalmente destruindo a democracia do quinto maios país do mundo”, alertou.

Para ele, entretanto, “a maior fraude é o fato de que as elites e a mídia estão justificando tudo em nome da ‘corrupção’ e da ‘democracia’”.

“Como alguém com um mínimo de razão pode acreditar que se trata de ‘corrupção’ quando estão prestes a instalar na presidência alguém muito mais implicado em problemas de corrupção que a pessoa que está sendo removida?”, questionou.

Greenwald diz considerar “espantoso e irritante” assistir ao desenrolar dos acontecimentos na política brasileira. Ele também afirma ser “triste e assustador” constatar como uma “jovem e vibrante democracia” pode ser “rápida e facilmente revertida — eliminando todos seus valores”.

“[A situação no Brasil] É também uma lição para todos que, em países do mundo todo, ingenuamente presumem que as coisas continuarão como estão e que a estabilidade e o progresso estão garantidos”, concluiu.

Comentários