Imprensa internacional repercute votação no Senado de impeachment de Dilma Rousseff

Para El País, 'dano causado é incalculável'; impeachment 'tem sido versão da vida real de um romance de Kafka', disse cientista político brasileiro ao Los Angeles Times

Redação


Clique para acessar todas as matérias e artigos de Opera Mundi e Samuel sobre o processo de impeachment

O Senado brasileiro iniciou nesta quarta-feira (11/05) a sessão que deverá culminar com a votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. É necessária maioria simples — 41 dos 81 senadores — para a aprovação. Caso o processo seja aceito, Dilma será formalmente afastada do cargo por até 180 dias e o vice-presidente, Michel Temer, assumirá a Presidência interinamente.

EFE

Teve início nesta quarta-feira (11/05) sessão no Senado que votará admissão ou não do processo de impeachment 

A versão brasileira do jornal espanhol El País publicou nesta quarta-feira um editorial no qual classifica o processo de impeachment como “irregular”. “Essa crise institucional coloca dúvidas mais do que razoáveis sobre a legitimidade que teria um novo presidente depois de um processo tão pouco habitual. O Brasil não pode se permitir semelhante espetáculo. O dano causado é incalculável”, declarou o veículo.

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald, que reside no Brasil há mais de 10 anos e é editor do site The Intercept, publicou nesta quarta um artigo no qual afirma que o impedimento de Dilma Rousseff foi o modo que a elite brasileira encontrou para chegar ao poder, após quatro derrotas eleitorais consecutivas. Segundo Greenwald, o Brasil “sofrerá um duro revés com a posse de um corrupto neoliberal”, em referência a Temer.

Em entrevista ao jornal norte-americano Los Angeles Times publicada também nesta quarta-feira, o cientista político brasileiro Francisco Fonseca comparou o processo de impeachment a um livro de ficção do escritor tcheco Franz Kafka. “Esse caso tem sido a versão da vida real de um romance de Kafka. É como ‘O Processo’”, disse Fonseca, da FGV-SP (Fundação Getúlio Vargas de São Paulo). “Tentaram derrubar Dilma Rousseff e seu partido com qualquer mecanismo ou argumento que puderam reunir”, afirmou.

Reprodução/Los Angeles Times

Título da matéria no Los Angeles Times: "Crise do impeachment no Brasil tem sido 'versão da vida real de um romance de Kafka'"

O site Huffington Post destacou a declaração do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) dada à Agência Brasil de que o PT fará “uma oposição duríssima” a Temer. “Agora nos preparamos para fazer uma oposição duríssima nos próximos dias porque não reconhecemos Temer como presidente”, afirmou o senador.

Comentários